Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog
Continua após publicidade

Por que Lula escolheu Paulo Gonet para a PGR

Entenda

Por Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 27 nov 2023, 17h03 - Publicado em 27 nov 2023, 16h53

A escolha de Paulo Gonet para a Procuradoria-Geral da República estava mais certa que a de Flávio Dino para o Supremo nas últimas duas semanas.

Segundo a coluna apurou, o presidente Lula – que já pendia por escolher o subprocurador eleitoral para PGR – ouviu dos ministros Alexandre de Moraes e Gilmar Mendes que Gonet era o melhor nome com trânsito na corte.

Hoje sob ataque do Senado, os colegas de toga buscam aliados para evitar que a pauta bolsonarista contra o STF prospere nos próximos dois anos, tempo do mandato de um PGR.

Recentemente, a maioria dos senadores aprovou uma PEC que diminui poderes de ministros em decisões monocráticas, empoderando o plenário.

O caso ainda vai para a Câmara, mas a ideia no campo político da direita é tentar fazer outras mudanças no funcionamento da corte.

Continua após a publicidade

Também pesou em favor de Paulo Gonet a atuação do Ministério Público Eleitoral sob seu comando, que levou à inelegibilidade do ex-presidente Jair Bolsonaro.

Duas vezes, aliás.

A atuação pessoal do procurador no caso da reunião de Bolsonaro com embaixadores, na qual o político desqualificou o sistema eleitoral brasileiro, foi considerada exemplar.

No histórico recente, Gonet também agradou ao dizer que Lula não cometeu irregularidade alguma quando chamou o ex-presidente e líder da extrema-direita de “genocida”.

Continua após a publicidade

A “campanha” de Paulo Gonet pode ter sido bem mais fácil que a de Dino, mas também não foi um mar de rosas, sem resistência.

O futuro procurador-geral é católico fervoroso, assim como Augusto Aras, gerando constantes preocupações em setores do PT e da esquerda.

O temor é de que Paulo Gonet tenha atuação conservadora em pautas progressivas, como a da legalização do aborto, discussão que foi interrompida no STF, mas pode ser retomada nos próximos dois anos, também enquanto ele estará à frente da PGR.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.