Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Matheus Leitão

Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog
Continua após publicidade

Depoimento-bomba de hacker explode no colo de Jair Bolsonaro

Entenda

Por Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 13 Maio 2024, 22h44 - Publicado em 17 ago 2023, 13h58

As alegações do hacker Walter Delgatti Neto na CPI do 8 de Janeiro colocam Jair Bolsonaro numa situação ainda mais delicada. Notório invasor de sistemas eletrônicos para surrupiar informações privadas, Delgatti afirmou que o ex-presidente cometeu crimes em série, liderando uma conspiração contra a democracia brasileira.

É o mais forte depoimento dado à CPI dos atos golpistas. O hacker implica diretamente não só o líder da extrema direita como o marqueteiro do ex-presidente, Duda Lima, a deputada Carla Zambelli e a cúpula das Forças Armadas, dando detalhes sobre as circunstâncias em que os crimes teriam acontecido.

A coluna já havia alertado, no dia 4 de agosto, que não é o comportamento do hacker que choca (já se sabe que ele comete crimes), mas como os poderosos – incluindo o ex-presidente – teriam se portado. O momento mais delicado do depoimento aconteceu quando o deputado Pastor Henrique Vieira pediu a palavra. Leia abaixo a sequência de perguntas e respostas:

– Deputado Pastor Henrique Vieira: Quem pediu para o senhor tentar fraudar esse sistema?

Continua após a publicidade

– Hacker Walter Delgatti Neto: Carla Zambelli, por ordem do ex-presidente Bolsonaro.

– Deputado Pastor Henrique Vieira: Quem pediu para o senhor assumir a autoria de um suposto grampo contra o ministro Alexandre de Moraes?

– Hacker Walter Delgatti Neto: O presidente Bolsonaro.

Continua após a publicidade

– Deputado Pastor Henrique Vieira: Quem te convidou para fazer propaganda eleitoral para sugerir ao povo uma suposta fraude no sistema eleitoral?

– Hacker Walter Delgatti Neto: O marqueteiro Duda e também o presidente Bolsonaro.

– Deputado Pastor Henrique Vieira: Quem te encaminhou ao Ministério da Defesa para elaborar questionamentos ao TSE sobre o sistema de votação?

Continua após a publicidade

– Hacker Walter Delgatti Neto: O então presidente Jair Bolsonaro.

– Deputado Pastor Henrique Vieira: Quem te disse que se o senhor cometesse um ilícito seria perdoado e receberia um indulto?

– Hacker Walter Delgatti Neto: O então presidente Bolsonaro.

Continua após a publicidade

– Deputado Pastor Henrique Vieira: Quem te deu carta branca para até mesmo na ilegalidade?

– Hacker Walter Delgatti Neto: O então presidente Bolsonaro.

O país já viveu outros momentos como o dia de hoje. Em 11 de agosto de 2005, o marqueteiro Duda Mendonça foi responsável por um dos momentos mais delicados do escândalo do mensalão: em depoimento à CPI dos Correios, ele admitiu ter recebido cerca de R$ 10,5 milhões de reais no exterior, como pagamento pela sua participação na campanha que elegeu o presidente Lula, em 2002. O petista foi à televisão para um pronunciamento em que admitiu os “erros” do partido e do seu governo, pedindo desculpas ao país. 

Continua após a publicidade

No caso de Bolsonaro, a situação se soma a outras denúncias que, como mostrou a coluna, fecham o cerco contra o ex-presidente da República. A situação do político, já inelegível, vê a face criminal contra ele piorar, porque tudo se conecta nele, seja no caso das joias, seja no uso da Polícia Rodoviária Federal para tentar interferir no resultado das eleições.

Jair Bolsonaro sempre atacou a funcionalidade das urnas eletrônicas brasileiras. Mas a pergunta que ficará, se comprovado o teor do depoimento de hoje é: quem não presta, elas ou o ex-presidente?

PS – É sempre importante lembrar que a trama envolvendo o hacker já havia, inclusive, sido revelada em reportagens de VEJA há um ano. Aliás, ele disse que uma parte do plano – a de dar uma entrevista a um órgão de imprensa – e soltar uma afirmação de que a urna eletrônica era vulnerável só não foi adiante justamente porque a revista relevou que ele se reuniu com Bolsonaro.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.