Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

PF investiga desvios milionários de verbas do SUS em três estados

Suspeita é que investigados usariam organizações de interesse público como laranjas para fraudar licitações públicas

Por Da Redação Atualizado em 9 Maio 2024, 12h06 - Publicado em 23 abr 2024, 10h14

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira, 23, uma operação que investiga desvios milionários de recursos destinados ao Sistema Único de Saúde (SUS). O esquema de corrupção envolve empresas suspeitas de atuarem como laranjas para captar verbas que seriam repassadas pelo governo federal aos estados do Paraná, São Paulo e Santa Catarina.

De acordo com a PF, os investigados utilizavam Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIPs) — empresas privadas que realizam ações sociais em parceria com governos — para fraude e lavagem de dinheiro em licitações da área de saúde. A operação realizada hoje, batizada de “Moto-perpétuo”, mira cerca de 14 milhões de reais em desvio de verbas, mas o valor pode chegar a mais de 70 milhões de reais apenas no Paraná, segundo a Controladoria-Geral da União (CGU).

Ao todo, agentes da PF e da Receita Federal cumprem treze mandados de busca e apreensão nas cidades de Curitiba, São Paulo e Balneário Camboriú. A Justiça autorizou o sequestro de dez imóveis nos três municípios, além da apreensão de veículos de luxo e o bloqueio de cotas sociais de empresas suspeitas de participação no esquema. Os investigados podem responder por organização criminosa, associação criminosa e lavagem de dinheiro, somando penas de até 18 anos de prisão.

Ainda de acordo com a polícia, um dos imóveis na mira da operação, avaliado em mais de 10 milhões de reais, está registrado em nome de uma empresa laranja cujo sócio foi beneficiado pelo auxílio emergencial durante a pandemia da Covid-19. Considerando a soma de apartamentos, carros, cotas de companhias e dinheiro, os valores de ativos apreendidos nas ações de hoje ultrapassam 30 milhões de reais.

O número de investigados pelo esquema de corrupção, associação criminosa e lavagem de dinheiro, bem como o nome dos proprietários das empresas fantasmas, está sob sigilo e não foi informado pela Polícia Federal.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.