Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Partidos no ministério de Lula não somam votos para aprovar uma PEC

Esplanada do futuro governo terá integrantes de dez partidos, mas número de deputados representa apenas pouco mais da metade da Câmara

Por Da Redação Atualizado em 29 dez 2022, 18h50 - Publicado em 29 dez 2022, 14h08

O primeiro escalão do futuro governo Luiz Inácio Lula da Silva, cuja conclusão foi anunciada nesta quinta-feira, 29, terá representantes de nove partidos no total, que vão dos esquerdistas PT, PSOL e PCdoB a siglas de centro-direita como União Brasil e PSD.

Somados todos os deputados eleitos por esses partidos, no entanto, o total de votos na Câmara chega a 268 parlamentares, pouco mais da metade dos 513 que compõem a Casa. Esse número é insuficiente para aprovar uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição), que precisa de 308 votos.

Veja os votos na Câmara de cada partido com ministério:

  • Federação PT-PV-PCdoB: 80
  • União Brasil: 59
  • MDB: 42
  • PSD: 42
  • PDT: 17
  • PSB: 14
  • Federação PSOL-Rede: 14

Na conta do governo ainda podem entrar os quatorze votos de três partidos que estiveram na coligação de Lula desde o primeiro turno, mas não ganharam ministério: Avante (sete deputados), Solidariedade (quatro) e Pros (três).

A Executiva Nacional do Cidadania, que tem cinco deputados, também aprovou apoio ao governo Lula nesta semana, mas o partido está unido ao PSDB em uma federação, o que torna incerto o voto desses parlamentares na próxima legislatura.

Continua após a publicidade

Senado

Já no Senado, os partidos que comandarão ministérios formam o número exato de senadores para ter maioria: 42 dos 81 parlamentares da Casa. Se considerar o Pros, que apoiou Lula na eleição mas ficou sem ministério, o número do governo sobe para 43.

O número também é insuficiente para aprovar uma PEC no Senado, já que são necessários 49 votos para esse tipo de projeto.

Veja os votos no Senado de partidos com ministério:

  • PSD: 11
  • União Brasil: 10
  • MDB: 10
  • PT-PV-PCdoB: 9
  • PSB: 1
  • Federação PSOL-Rede: 1

Líderes

Lula anunciou também nesta quinta-feira, 29, os nomes dos seus líderes no Congresso. Os parlamentares indicados terão a dura missão de fazer avançar os projetos do governo no Legislativo e representar uma base que tem mais de uma dezena de partidos.

Continua após a publicidade

O líder na Câmara será o deputado federal José Guimarães (PT-CE). Eleito para o quinto mandato consecutivo, ele foi um dos principais articuladores da candidatura vitoriosa do PT ao governo do Ceará. Ele também é irmão do ex-presidente do PT José Genoino.

O líder no Senado será Jaques Wagner (PT-BA), que já foi duas vezes governador da Bahia, onde desbancou o carlismo e deu início a uma hegemonia petista no estado que já chegará ao terceiro governador diferente – depois dele, vieram Rui Costa (atual) e Jerônimo Rodrigues (eleito). Wagner é um antigo homem de confiança de Lula e já foi cotado mais de uma vez para ser candidato a presidente da República.

Já o líder do governo no Congresso será o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Senador de primeiro mandato, ele foi um dos responsáveis por articular a federação da Rede com o PSOL e pela entrada das duas legendas na coligação de Lula já no primeiro turno, apesar de resistências nos dois partidos. Randolfe também foi um dos senadores que mais se destacaram na CPI da Pandemia.

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.