Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Greve não vai impedir plano de privatizações do governo, diz Tarcísio

Serviços do Metrô e da CPTM estão parcialmente paralisados nesta terça-feira, 28

Por Da Redação
Atualizado em 28 nov 2023, 18h08 - Publicado em 28 nov 2023, 08h11

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), afirmou que as greves em andamento no Metrô, na CPTM e na Sabesp não irão prejudicar o plano de privatizações e desestatizações do Executivo estadual. A declaração foi dada na manhã desta terça-feira, 28.

As desestatizações e os estudos para privatização não vão parar, nós vamos continuar tocando. A operação na Sabesp vai acontecer no ano que vem e será um grande sucesso”, disse o governador. “Não tem o que ser negociado, não tem acordo”, acrescentou.

Também na manhã desta terça, o governador informou que as operações na Sabesp ocorrem normalmente, enquanto a CPTM opera praticamente sem interrupções e que “o nosso maior problema é o Metrô”, afirmando que os metroviários estão descumprindo decisões judiciais que limitam a paralisação. “Vamos depois ver as sanções que serão aplicadas, porque não podemos tolerar o desrespeito e a indisciplina”, disse.

A Justiça determinou que 80% dos serviços do Metrô devem funcionar nos horários de pico, das 6h às 9h e das 16h às 19h – no caso da CPTM, 85% dos trabalhadores devem estar atuando das 4h às 10h e das 16h às 21h. Nos demais períodos, o contingente deve ser de 60% nesta terça. Caso as decisões sejam descumpridas, os sindicatos dos metroviários estarão sujeitos a multas diárias de 700 mil reais, enquanto as entidades que representam os ferroviários enfrentam punição de 600 mil reais por dia.

Também por determinação judicial, a Sabesp deve manter 80% dos funcionários em atividade ao longo do dia, sob pena de multa de 100 mil reais aos sindicatos pelo descumprimento.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.