Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho e Isabella Alonso Panho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Governo destrói helicóptero, avião e trator em ofensiva contra o garimpo

Operação na Terra Indígena Yanomami tem participação decisiva da Funai e do Ibama, cujas ações de repressão foram enfraquecidas durante o governo Bolsonaro

Por Da Redação Atualizado em 8 fev 2023, 15h50 - Publicado em 8 fev 2023, 15h12

O governo federal desencadeou uma operação ostensiva para combater o garimpo ilegal na Terra Indígena Yanomami, com a atuação de homens da Força Nacional de Segurança Pública, mas também de órgãos cujas ações repressivas foram quase totalmente suspensas durante o governo Jair Bolsonaro: o Ibama e a Funai (Fundação Nacional dos Povos Indígenas).

Em dois dias de ação, na segunda-feira 6 e na terça 7, agentes desses órgãos haviam destruído um helicóptero, um avião, um trator de esteira e estruturas de apoio logístico ao garimpo. Também foram apreendidas, segundo o Ibama, duas armas e três barcos com cerca de 5 mil litros de combustível.

Ibama e Força Nacional de Segurança instalaram ainda uma base de controle no Rio Uraricoera para impedir o fluxo de suprimentos para os garimpos. Além de gasolina e diesel, as grandes embarcações de até 12 metros, conhecidas como “voadeiras”, carregavam cerca de uma tonelada de alimentos, freezers, geradores e antenas de internet. Todos os suprimentos foram apreendidos e serão usados para abastecer a base de controle.

De acordo com o governo federal, nenhuma embarcação com carregamento de combustível e equipamentos será autorizada a seguir daquele ponto de bloqueio em direção aos garimpos. A instalação de bases de controle, que têm estrutura logística fornecida pela Funai, será estendida para outras áreas da terra indígena.

Continua após a publicidade

A ação aérea na região está sendo realizada pelo Grupo Especializado de Fiscalização (GEF) do Ibama, que monitora pistas de pouso clandestinas na região. De acordo com o órgão, serão mantidos os sobrevoos para identificar e destruir a infraestrutura do garimpo, como aviões, helicópteros, motores e instalações. O Ibama também passou a fiscalizar distribuidoras e revendedoras responsáveis pelo comércio irregular de combustível de aviação que abastece os garimpos.

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.