Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho e Isabella Alonso Panho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Argentina: falta de gasolina causa filas quilométricas nos postos

A menos de três semanas das eleições presidenciais, país vive pior crise de abastecimento desde 2010

Por Da Redação Atualizado em 10 Maio 2024, 08h15 - Publicado em 30 out 2023, 19h19

Nos últimos dias, a Argentina vem enfrentando a mais grave crise de escassez de gasolina dos últimos treze anos. Vídeos publicados nas redes sociais desde a última sexta-feira, 27, mostram filas intermináveis de carros diante dos postos de combustíveis – com as bombas vazias, diversos estabelecimentos estão fechados por falta de condições de abastecer os veículos.

 

 

 

Diante da crise, o ministro da Economia e candidato presidencial do governo, Sergio Massa, ameaçou proibir as petrolíferas de exportarem gasolina se a situação não for resolvida até amanhã, terça, 31 – quando termina o período de congelamento dos preços de combustíveis iniciado em agosto. “O petróleo argentino pertence, primeiro, aos argentinos”, disse Massa a jornalistas no último domingo, 29.

Continua após a publicidade

Ainda de acordo com o ministro da Economia, a falta de combustível nas bombas é resultado de um pico de demanda no final de semana retrasado, quando o consumo de gasolina cresceu 15%, puxado pelo turismo, em relação ao mesmo período de 2022. Ele também atribuiu a culpa às petrolíferas que estavam segurando o fornecimento, apostando que haveria uma desvalorização artificial do câmbio pelo governo.

A escassez de gasolina é mais um desafio enfrentado pela gestão de Alberto Fernández às vésperas do segundo turno das eleições presidenciais, em 19 de novembro, que será disputado entre Massa e o candidato de oposição, o político de direita Javier Milei. O país vive hoje uma grave recessão econômica com a disparada da inflação acima de 138% ao ano, escassez de dólares e queda acentuada do peso argentino.

Como a disputa do segundo turno promete ser bastante apertada entre Massa e Milei, as filas enormes nos postos de gasolina devem se tornar um combustível explosivo para ser explorado pela oposição contra o candidato peronista.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.