Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Maquiavel Por José Benedito da Silva A política e seus bastidores. Com João Pedroso de Campos, Reynaldo Turollo Jr., Bruno Ribeiro, Tulio Kruse e Diogo Magri. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Aras diz que cumpriu decisões judiciais ao liberar verbas a procuradores

PGR emitiu nota após jornal mostrar que, em dezembro, alguns membros do Ministério Público receberam mais de 400 mil reais

Por Da Redação 20 jan 2022, 13h32

O procurador-geral da República, Augusto Aras, emitiu uma nota para justificar pagamentos extras autorizados a membros do Ministério Público Federal em dezembro. Os valores, segundo o PGR, decorreram de decisões judiciais e regulamentações anteriores ao início da sua gestão, em 2019. Aras divulgou os esclarecimentos após matéria do jornal O Estado de S. Paulo mostrar nesta quarta, 19, que alguns procuradores ganharam mais de 400 mil reais em dezembro – incluindo conhecidos adversários de Aras que, nos últimos tempos, diminuíram a frequência das críticas à sua gestão.

“Os pagamentos não são decorrentes da vontade ou de qualquer ato de voluntarismo do procurador-geral da República. Como chefe do MPU (Ministério Público da União), Augusto Aras cumpriu decisões judiciais e regulamentações do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), tomadas  antes do início de sua gestão. Além de todos os pagamentos estarem amparados em lei e resoluções, a decisão de viabilizar a quitação dos débitos da União, em dezembro de 2021, foi precedida de reunião do Conselho de Assessoramento do Ministério Público da União (CASMPU)”, órgão que delibera sobre questões orçamentárias, diz a nota.

Sobre os pagamentos feitos em dezembro não incidiu o chamado abate-teto – que é o mesmo do Judiciário, sendo 39,2 mil reais para os ministros do Supremo Tribunal Federal. A PGR explica que isso ocorreu porque eram verbas de caráter indenizatório, “pagas de forma excepcional e conforme critérios legais”. Por isso, para o órgão, é incorreto falar em “super salários”.


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês