Clique e assine a partir de 9,90/mês

Projeto mapeia quase 20% de todo o oceano

O objetivo do programa é terminar toda a investigação até o começo da próxima década

Por Sabrina Brito - Atualizado em 22 Jun 2020, 16h31 - Publicado em 22 Jun 2020, 15h30

De acordo com pesquisadores, a espécie humana está um pouco mais perto de conhecer o planeta que habita. Uma iniciativa que pretende mapear todo o assoalho marinho anunciou ter atingido um marco importante: agora, 19% do oceano é conhecido pelo homem.

Trata-se do projeto GEBCO Seabed 2030, lançado em 2017. Nessa época, apenas 6% dos mares haviam sido investigados pela ciência. Só no ano passado, uma área equivalente à da Austrália multiplicada por dois foi incluída no mapeamento.

Os 81% restantes formam uma área duas vezes maior do que a superfície de Marte. A meta do programa é terminar a pesquisa do assoalho marinho até o ano de 2030 — ou seja, os cientistas têm um longo trabalho pela frente.

ASSINE VEJA

Acharam o Queiroz. E perto demais Leia nesta edição: como a prisão do ex-policial pode afetar o destino do governo Bolsonaro e, na cobertura sobre Covid-19, a estabilização do número de mortes no Brasil
Clique e Assine

Mesmo que não conheçamos a fundo grande parte dos oceanos, isso não significa que não saibamos nada sobre eles. Com a ajuda de satélites e outras tecnologias, a comunidade científica já construiu imagens razoavelmente detalhadas da área. Contudo, os responsáveis pelo projeto GEBCO Seabed 2030 buscam uma precisão dez vezes maior do que a que temos no presente.

Continua após a publicidade

Os mapas que serão construídos a partir da pesquisa terão diversas utilidades: navegação, implantação de cabos e encanamentos debaixo d’água, conservação animal, previsão de efeitos da mudança climática, entre outras. Para que a missão seja bem-sucedida, os cientistas precisam de mais investimento, tanto financeiro quanto tecnológico.

Publicidade