Clique e assine a partir de 8,90/mês

O réveillon da Covid

Thomas Traumann analisa as perspectivas de futuro no Brasil após a pandemia do coronavírus

Por Thomas Traumann - Atualizado em 22 jun 2020, 16h15 - Publicado em 22 jun 2020, 15h56

Quando chegar o fim do ano e finalmente pudermos nos reunir de novo, teremos todos nós histórias tristes para contar sobre esse ano de 2020. Será também a lembrança dos ausentes pela Covid-19. Já são mais de 50 mil mortos e, segundo projeções baseadas em cálculos feitos nos EUA, devemos chegar ao fim de agosto com 150 mil óbitos.

A coragem e o empenho dos profissionais da saúde permite que muitos sobrevivam. Mas dezenas de milhares de pessoas não estarão conosco para ver a passagem do ano. Olharemos todos para trás com um misto de revolta e raiva: era preciso morrer tanta gente?

Essas mortes eram inevitáveis? Pior, eram evitáveis. Somos todos testemunhas de uma matança inútil, graças a estupidez do governo federal.

Entenda nesta edição do podcast Traumann Traduz

Publicidade