Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Prêmio Fotógrafo Ambiental do Ano anuncia vencedores de 2022

Na principal categoria, foto escolhida mostra morte de aves em lago poluído no Irã

Por Alessandro Giannini Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 25 dez 2022, 18h47 - Publicado em 25 dez 2022, 15h49

Plataforma internacional para aumentar a conscientização sobre as questões que colocam a Terra em risco, a 15ª edição do Fotógrafo Ambiental do Ano apresentou os vencedores da competição deste ano. O fotógrafo Mehdi Mohebi Pour ganhou o cobiçado prêmio principal com a foto The Bitter Death of Birds (A Amarga Morte dos Pássaros, 2021). A imagem retrata três das milhares de aves que morreram na lagoa Miankaleh, no Irã, devido à contaminação e à falta de água, e mostra os esforços de agentes ambientais para recolher os corpos para evitar a propagação de doenças. “Quero que as pessoas ao redor do mundo saibam desse triste acontecimento da morte das aves, pois, se não reconsiderarmos nosso estilo de vida e cuidarmos do planeta, isso acontecerá em breve em outros países”, disse Pour.

O concurso, que recebeu mais de 3.000 fotos de mais de 115 países, premia mais cinco categorias. O prêmio Jovem Fotógrafo Ambiental do Ano foi para Fayz Khan, de 16 anos, por Beautiful But Hostile Colors on Earth (Cores Lindas, Mas Hostis na Terra, 2022). A imagem mostra menos flamingos-pequenos voando sobre o Lago Magadi e o Lago Natron, no Quênia. Os dois corpos de água já foram um único lago de água doce, mas hoje se tornaram duas salinas altamente concentradas, que são severamente alcalinas e tóxicas para a maioria das formas de vida vegetal e animal – com exceção dos flamingos- pequenos que adoram se alimentar na superfície. A foto foi elogiada por ser clássica e bem composta, ao mesmo tempo em que destaca os efeitos incalculáveis da crise climática no Vale do Rift.

O prêmio Jovem Fotógrafo Ambiental do Ano foi para Fayz Khan, de 16 anos, por Beautiful But Hostile Colors on Earth (Cores Lindas, Mas Hostis na Terra, 2022) -
O prêmio Jovem Fotógrafo Ambiental do Ano foi para Fayz Khan, de 16 anos, por Beautiful But Hostile Colors on Earth (Cores Lindas, Mas Hostis na Terra, 2022) – (Fayz Khan/Reprodução)

Também foi premiado o fotojornalista Arie Basuki, por Vertical Farming, (Cultura Vertical, 2022), na categoria Visão do Futuro. Na imagem funcionários mantêm plantações de hortaliças em um depósito na Fazenda Sentra, na Indonésia. A vantagem da agricultura vertical é que ela é livre de agrotóxicos com um período de colheita de apenas 30 dias e um rendimento médio de 20kg a 30kg de hortaliças por dia.

Officers maintain vegetable crops in a warehouse at Sentra Farm, Cimanggis, Depok, West Java, Indonesia, Tuesday (18/01/2022). Various vegetables such as curly lettuce, romaine, oclave green, siiomak, kailan and others are cultured in a room where the light and temperature remain stable. The advantage of vertical farming which has just been developed in the past year is that it is free of pesticides with a harvest period of only 30 days with an average yield of 20 to 30 kg of vegetables/day with nutrients between Rp. 15 thousand to Rp. 30 thousand/250 gram.
O fotojornalista Arie Basuki ganhou o prêmio na categoria Visão do Futuro por ‘Vertical Farming’, (Cultura Vertical, 2022) – (Arie Basuki/Reprodução)

Na categoria Recuperando a Natureza, o vencedor foi Jonathan “Jonk” Jimenez, com Naturalia: Chronicle Of Contemporary Ruins (Naturalia: Crônica de Ruínas Contemporâneas, 2021). A imagem mostra uma piscina abandonada em Pisa, na Itália. A série de fotos faz uma pergunta fundamental: qual é o lugar do homem na Terra e qual é a nossa relação com a natureza?

Na categoria Recuperando a Natureza, o vencedor foi Jonathan
Na categoria Recuperando a Natureza, o vencedor foi Jonathan “Jonk” Jimenez, com ‘Naturalia: Chronicle Of Contemporary Ruins’ (Naturalia: Crônica de Ruínas Contemporâneas, 2021) – (Jonathan "Jonk" Jimenez/Reprodução)

O fotógrafo Subrata Dey foi o escolhido na categoria Mantendo o 1,5°C Vivo, com Chemical Explosion, (Explosão Química, 2022). Em junho, uma explosão química seguida de incêndio em um depósito de contêineres em Bangladesh deixou 49 pessoas mortas. A explosão no depósito derramou recipientes de plástico no rio próximo, onde a água misturada com produtos químicos entrou no aquífero e destruiu o abastecimento de água potável.

O fotógrafo Subrata Dey foi o escolhido na categoria Mantendo o 1,5°C Vivo, com 'Chemical Explosion' (Explosão Química, 2022) -
O fotógrafo Subrata Dey foi o escolhido na categoria Mantendo o 1,5°C Vivo, com ‘Chemical Explosion’ (Explosão Química, 2022) – (Subbrata Dey/Reprodução)

E na categoria Adaptando-se para o Amanhã o prêmio foi para Simone Tramonte, por New Ways To The Future (III) (Novos Meios para o Futuro III, 2021). Na fotografia, pode-se ver o parque eólico Middelgrunden de Amager Strand, uma praia na Dinamarca. Agora, 8.552 consumidores de eletricidade, uma mistura de cidadãos privados e pequenas empresas, são co-proprietários do parque eólico, que  produz eletricidade para mais de 40.000 residências em Copenhague.

Na categoria Adaptando-se para o Amanhã o prêmio foi para Simone Tramonte, por 'New Ways To The Future (III)' (Novos Meios para o Futuro III, 2021)
Na categoria Adaptando-se para o Amanhã o prêmio foi para Simone Tramonte, por ‘New Ways To The Future (III)’ (Novos Meios para o Futuro III, 2021) – (Simone Tramonte/Reprodução)

Este ano, o prêmio foi concedido pela CIWEM (organização beneficente de gerenciamento de água e meio ambiente), WaterBear (plataforma de streaming gratuita dedicada ao futuro do nosso planeta), Nikon (fornecedor líder mundial de produtos de imagem) e Arup (empresa de serviços profissionais de desenvolvimento sustentável).

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.