Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Novo barco do Greenpeace chega a Barcelona e receberá visitas

O novo veleiro da organização ambientalista Greenpeace, Rainbow Warrior III, chegou esta quarta-feira ao porto de Barcelona (nordeste), onde foi recebido com festa por uma centena de pessoas em seu giro para celebrar os 40 anos da ONG.

A organização aproveita o périplo para agradecer as doações que permitiram financiar a moderna embarcação, avaliada em 23 milhões de euros.

Ao ritmo de rumba e salsa, ante uma centena de pessoas de todas as idades que agitavam bandeiras do arco-íris e cartazes de boas-vindas, o barco atracou ao entardecer no cais do Maremagnum.

“É muito importante para Barcelona fazer parte destas comemorações pelos 40 anos de uma ONG como o Greenpeace”, declarou à AFP o vereador de meio ambiente do ajuntamento de Barcelona, Joan Puigdollers.

O fato de o Greenpeace ter escolhido este porto “para esta comemoração confirma as fortes relações que (a ONG) mantém com a Catalunha e Barcelona”, acrescentou.

Durante os nove dias que ficará em Barcelona, o barco poderá ser visitado pelo público, o que não havia acontecido em sua viagem inaugural pela Europa.

Além de visitas guiadas, em sua agenda consta um concerto de Rebeca Jiménez, oficinas de pesca artesanal para estudantes e um jantar sustentável para a tripulação, preparado pelo chef madrilense Diego Guerrero, ganhador de duas estrelas no guia Michelin.

A construção do Rainbow Warrior III contou com tecnologia “verde”.

O veleiro, com 58 metros de comprimento e capacidade para 32 tripulantes, navegará principalmente a vela para reduzir o consumo de combustível e usará o motor apenas quando for necessário.

Este novo Rainbow Warrior será “o único capaz de entrar em rios e portos de pouca profundidade”, explicou a organização ambientalista.

“É o único barco a vela do Greenpeace e graças ao alto rendimento de combustível que seu design proporciona, será o principal barco das campanhas”, acrescentou.

O primeiro Rainbow Warrior foi afundado em 1985 pelos serviços secretos franceses quando tentava impedir testes nucleares no Pacífico. O segundo foi um barco de pesca adaptado.