Clique e assine a partir de 9,90/mês

Muitos mamíferos carnívoros são incapazes de sentir gosto doce, diz estudo

Por Sam Panthaky - Atualizado em 6 maio 2016, 16h43 - Publicado em 12 mar 2012, 21h40

Muitas espécies de mamíferos carnívoros perderam a capacidade de sentir sabor doce, devido à evolução de sua dieta consistente em comer carne exclusivamente, revelou um estudo divulgado nesta segunda-feira.

Estudos anteriores já tinham demonstrado que os gatos selvagens e domésticos que se alimentam só de carne são incapazes de perceber o sabor doce devido a um defeito em seus genes.

A partir disto, cientistas do Instituto Monell na Filadélfia (Pensilvânia, leste) e da Universidade de Zurique, na Suíça, decidiram investigar se outros mamíferos que se alimentam de carne e peixe tampouco percebiam o sabor doce.

Para isso, estudaram os genes dos receptores do gosto adocicado em 12 espécies de mamíferos. E, para sua surpresa, descobriram que a percepção do doce tinha desaparecido em muitas espécies carnívoras.

Continua após a publicidade

“Pensava-se que o sabor doce fosse um traço universal nos animais. Que a evolução tenha levado de forma independente espécies tão diferentes a perdê-lo foi muito inesperado”, disse Gary Beauchamp, autor principal do estudo publicado na edição online das Atas da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos (PNAS).

Assim, a preservação do receptor do sabor doce está estreitamente relacionada com os hábitos alimentares dos animais.

Entre os leões marinhos, o lobo-marinho antártico, as focas comuns, as lontras anãs orientais ou as hienas-malhadas, espécies exclusivamente carnívoras, os genes que controlam o receptor do sabor doce eram defeituosos, acrescentou o estudo.

Ao contrário, este receptor foi encontrado intacto no lobo terrestre, no urso de óculos, no guaximim e no lobo-vermelho, todas espécies carnívoras que também comem outro tipo de alimentos, especialmente doces.

Continua após a publicidade

A descoberta sugere que a perda da capacidade de perceber o sabor adocicado ocorreu ao longo da evolução, mostrando a importância das dietas exclusivas na estrutura e função do sistema sensorial dos animais, afirmaram os pesquisadores.

Também examinaram os genes dos receptores do sabor doce e ‘umami’ (gosto de carne) – dois dos cinco sabores básicos – em dois mamíferos marinhos que originalmente viviam na terra: os leões marinhos e os golfinhos nariz-de-garrafa.

Estes animais foram escolhidos porque engolem a comida, o que sugere que o gosto não é importante na escolha dos alimentos.

Como se esperava, a perda de sabor estava muito disseminada nos dois mamíferos. Os genes da ativação dos receptores para o sabor doce e o sabor ‘umami’ não funcionavam nos dois. Além disso, os genes responsáveis pelo gosto amargo estavam inativos nos golfinhos.

Continua após a publicidade

“Este estudo mostra claramente que os receptores do sabor na cavidade bucal não são necessários para a sobrevivência de algumas espécies”, concluiu Peihua Jiang, do Instituto Monell.

Publicidade