Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Biólogos acham anfíbio raro em Rondônia

'Cobra mole' foi encontrada no leito do Rio Madeira, perto das obras da hidrelétrica de Santo Antônio. Animal é o maior anfíbio sem pulmões conhecido

Seis exemplares da espécie Atretochoana eiselti, um anfíbio pouco conhecido de corpo alongado, cilíndrico e de pele lisa que pertence à família das chamadas cobras-cegas, foram encontrados perto das obras da hidrelétrica de Santo Antônio, no Rio Madeira, em Porto Velho, capital de Rondônia. Os cientistas acreditam que este seja o maior anfíbio sem pulmões já encontrado – o animal respira através da pele.

Saiba mais

COBRA MOLE

O Atretochoana eiselti, também conhecido como ‘cobra mole’, é um anfíbio de formato cilíndrico, muito parecido com uma cobra. O animal é parente das salamandras, rãs, pererecas e sapos. Dois exemplares do bicho já descobertos no Rio Madeira estão no Museu Emilio Goeldi, em Belém. Os pesquisadores acreditam que o anfíbio vive na bacia do rio, que vai até a Bolívia, e no estado do Pará.

O A. eiselti é bastante raro. Até agora, apenas dois exemplares da espécie haviam sido encontrados. Por causa disso, há poucas informações sua área de vida. Os novos exemplares foram resgatados durante a secagem do leito do Rio Madeira. Três dos exemplares capturados foram devolvidos ao rio, um morreu e os outros dois foram coletados para estudo.

Segundo o biólogo Juliano Tupan, analista socioambiental da Santo Antônio Energia, empresa responsável pelas obras, um aspecto importante da descoberta é a confirmação do local onde o animal vive. “Agora temos certeza de que esse animal está presente na bacia do Rio Madeira, que vai até a Bolívia, e no Pará”, disse.

Os primeiros exemplares do A. eiselti foram encontrados em dezembro de 2011, mas os cientistas só divulgaram a informação agora porque esperaram concluir a catalogação científica.

(Com Agência Estado)