Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Transtornos para quem quer tirar passaporte persistem

De acordo com a PF de São Paulo, desde a pane, o número de atendimentos diários na capital subiu de 1.000 para 1.800. Em todo o país, o aumento no número de emissões de passaportes foi de aproximadamente 40% em um ano

Quase um mês depois da pane que travou o sistema de passaportes da Polícia Federal (PF) no país, o agendamento de horários para a retirada do documento continua demorado. Conseguir uma data nos postos de atendimento da PF é um jogo de azar. Muitos desistem depois de várias tentativas sem conseguir agendar uma data para ser atendido na PF, ou se veem obrigados a mudar os planos de viagem.

O consultor de empresas Marcelo de Lima Rezende, de 37 anos, começou a planejar uma viagem em julho. Desde então, tenta tirar passaporte e não consegue data. Veio a pane no site, a normalização, e até agora ele não conseguiu marcar sua visita à PF. “Já fiz três cadastros no site que expiraram porque não consigo agendar. Na quinta-feira mesmo tentei e não havia data”, conta. Por causa do imbróglio, desistiu de ir à Disney.

Em São Paulo, os postos da Lapa, zona oeste, e do Shopping Light, no centro, funcionarão aos sábados até o fim do mês. Mesmo assim, a demanda reprimida do pós-pane não está sendo resolvida. A recomendação da PF é de que o usuário entre no site “várias vezes ao dia, em horários diferentes”.

De acordo com a PF de São Paulo, desde a pane, o número de atendimentos diários na capital subiu de 1.000 para 1.800. Em todo o país, o aumento no número de emissões de passaportes foi de aproximadamente 40% em um ano – pulou de 543.000 no primeiro semestre de 2009 para 753.000 no mesmo período deste ano.

Visto americano – Depois de penar para conseguir um passaporte, quem vai viajar para os Estados Unidos também sofre para obter um visto. Em São Paulo e no Rio, até ontem, a espera prevista estava em três meses e meio, 15 dias a mais do que em Brasília. No Recife, onde o atendimento é mais “rápido”, a previsão do consulado era de dois meses e 17 dias, com a próxima vaga disponível para janeiro.

Por meio de sua assessoria, o cônsul-geral dos Estados Unidos em São Paulo, Thomas Kelly, afirma que, em 2010, estão sendo emitidos entre 1.500 e 1.900 vistos por dia na capital – é o Consulado Americano que mais atende no mundo. Segundo ele, a espera de mais de 100 dias é normal para a época do ano que antecede as férias de verão. Em 2009, 320.000 vistos americanos foram solicitados em São Paulo, com 95% de aprovação.

(Com Agência Estado)