Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Suspeito de repassar dados do Metrô a lobista pede demissão

Pedro Benvenuto, secretário executivo no Conselho de PPPs do governo de São Paulo, deixa o cargo de confiança por suspeita de favorecer Jorge Fagali Neto

Secretário executivo do Conselho Gestor do Programa de Parcerias Público-Privadas (PPPs) governo de São Paulo, Pedro Benvenuto pediu demissão do cargo na quarta-feira, 26, após uma série de encontros entre ele e um representante de empresas apontadas como integrantes do cartel no sistema metroferroviário ter sido revelado.

Benvenuto, que entre 2006 e 2009 coordenava gestão e planejamento na Secretaria de Transportes Metropolitanos, é suspeito de vazar informações para o esquema nesse período. Funcionário de carreira, Benvenuto voltará a seu posto original na estatal Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô).

Segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo, Benvenuto manteve reuniões com Jorge Fagali Neto – lobista de empresas suspeitas no caso do cartel delatado ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) pela Siemens.

Leia também:

Presidente do Cade é militante do PT há 13 anos

A Corregedoria-Geral da Administração já convocou Benvenuto para prestar esclarecimentos sobre o caso na semana que vem. O órgão corregedor do estado vai analisar se houve ilegalidade no repasse dos dados para Fagali Neto, bem como investigar se as informações eram ou não de caráter sigiloso.

O Ministério Público teve acesso a e-mails datados de 2006 que mostravam que Benvenuto enviou as informações antes de elas se tornarem públicas. Auxiliares do Palácio dos Bandeirantes afirmaram que Benvenuto enviou para o lobista apenas planilhas com previsões orçamentárias do Metrô.

Fagali Neto é investigado desde 2008 pela Polícia Federal por suspeitas de intermediar pagamento de propina da multinacional francesa Alstom a políticos.

Leia também:

Entenda as denúncias de cartel no metrô de São Paulo

Governo paulista quer declarar inidoneidade da Siemens

(Com Estadão Conteúdo)