Clique e assine a partir de 9,90/mês

Quatro adolescentes são detidos por espancar travesti até a morte

Vítima de 42 anos foi agredida com tapas, socos, chutes, pauladas e pedradas na periferia de Fortaleza; comoção pela morte mobilizou cúpula do governo

Por Da Redação - Atualizado em 9 jan 2018, 19h07 - Publicado em 7 mar 2017, 15h00

Graças a um vídeo de 1 minuto e 20 segundos, que circula nas redes sociais, a polícia cearense identificou e apreendeu nesta terça-feira, no bairro Bom Jardim, periferia de Fortaleza, quatro envolvidos no assassinato da travesti Dandara dos Santos, de 42 anos. O secretário de Segurança, André Costa, participou pessoalmente da operação, atendendo a pedido do governador do Ceará, Camilo Santana (PT).

Dandara foi brutalmente espancada até a morte. O crime aconteceu no dia 15 de fevereiro. As cenas da agressão coletiva, que contou com socos, chutes, chineladas, pauladas e pedradas, foram divulgadas na sexta-feira na internet. O fato gerou grande comoção nas redes sociais.

De acordo com o delegado titular do 32º Distrito Policial, Bruno Ronchi, os envolvidos no crime são adolescentes já com passagem pela Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA). “Todo atentado contra a vida é um crime hediondo, mas pior ainda quando é motivado pelo ódio e preconceito, por conta de orientação sexual, raça, cor, idade ou sexo”, afirmou o secretário de Segurança.

Na filmagem, Dandara aparece ensanguentada e com as roupas rasgadas. Ao mesmo tempo em que seus algozes a espancam, dizem palavras ofensivas contra ela e a mandam subir em um carrinho de mão. “Suba, suba! Não vai subir, não?”, gritam três jovens enquanto a vítima, sentada no chão, mal consegue se mover por conta das agressões físicas.

Continua após a publicidade

Um dos agressores tira do pé o chinelo e bate na cabeça dela a ofendendo com mais xingamentos. Mais chutes e tapas são dados. Dandara, mesmo sangrando e sem forças, tenta em vão subir no carrinho. “A mundiça tá de calcinha e tudo”, ironiza um dos jovens. Outro aparece com um pedaço de madeira e bate repetidas vezes na travesti. Por fim, eles a colocam no carrinho e o vídeo termina com ela sendo levada pela rua.

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade