Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Para analistas, há riscos na exploração

Por Camilla Rigi
21 ago 2008, 18h23

Com agência Reuters

Mudar as regras de exploração do petróleo na camada pré-sal incorre em riscos elevadíssimos, que podem resultar em queda dos investimentos privados no setor, acentuada desvalorização da Petrobras e até a deterioração dos fundamentos macroeconômicos do país. a opinião é de analistas de mercado, segundo quem, ao sinalizar com novo aparato regulatório no setor, o governo brasileiro pode repetir o erro do México, que elevou os gastos públicos na década de 1980 apostando no aumento da receita que viria com grandes reservas de óleo.

“É um negócio arriscadíssimo. Explorar no pré-sal exige muito investimento e só compensa agora porque o preço do petróleo está muito alto. A coisa pode virar e, se elevar o gasto público apostando em receita futura, tem o risco de regressão”, disse o diretor de pesquisa do banco BBM, Beny Parnes, em congresso da Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec) no Rio.

O diretor da corretora Ágora e presidente nacional da Apimec, Álvaro Bandeira, concorda com Parnes. Segundo Bandeira, as reservas do pré-sal só foram descobertas depois que o governo quebrou o monopólio da exploração no setor, o que permitiu à Petrobras realizar convênios com 37 companhias estrangeiras. Ele argumentou que a criação de uma nova empresa 100% estatal para administrar essas reservas, deixando as petroleiras apenas na condição de prestadoras de serviço, faria o governo assumir todo o risco do investimento.

Continua após a publicidade

Para o diretor de mercados emergentes do banco WestLB, Ricardo Amorim, o temor em relação ao surgimento de um novo modelo que possa prejudicar a Petrobras já está pesando no comportamento das ações da companhia. “No auge dos últimos meses, a empresa chegou a ser a sexta maior no ranking das maiores petroleiras do mundo. Hoje é a décima primeira”, informou.

Comissão – Uma comissão interministerial foi formada para definir o tratamento que será dado à exploração das possíveis reservas gigantes de petróleo e gás natural do pré-sal ¿ uma faixa que se estende por 800 quilômetros do Espírito Santo à Santa Catarina em águas ultra-profundas da costa brasileira e podem conter bilhões de barris de petróleo. Uma propostas deve ser apresentada ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva em um mês.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.