Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Operação da polícia prende 14 milicianos no Rio de Janeiro

Ação buscou interromper comércio e serviços ilegais, que geram grande lucro e são explorados pela organização criminosa na capital e na Baixada Fluminense

Por Da Redação 11 jan 2022, 21h42

Uma operação do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE) do Rio de Janeiro realizada nesta terça-feira, 11, contra a milícia que age na zona oeste da capital e na Baixada Fluminense prendeu 14 criminosos. A finalidade da ação foi interromper comércio e serviços ilegais, que geram grande lucro e são explorados pela organização criminosa. A ação é parte da Força-Tarefa dos Mil Milicianos Presos, implementada pela Secretaria de Segurança Pública do Rio.

Entre as ações investigadas estão exploração de atividades ilegais controladas pela milícia, cobranças irregulares de taxas de segurança e de moradia, instalações de centrais clandestinas de TV a cabo e sinal de internet, conhecida como gatonet, além de armazenamento e comércio irregular de botijões de gás e água, empresas de implantação de GNV ilegais, parcelamento irregular de solo urbano, exploração e construções irregulares, areais e outros crimes ambientais, comercialização de produtos falsificados, contrabando, descaminho, transporte alternativo irregular e estabelecimentos comerciais explorados pela milícia e utilizados para lavagem de dinheiro.

A Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (Draco) prendeu duas pessoas, em Santa Cruz. Segundo os policiais, uma delas é responsável por extorsões a comerciantes nos bairros de Santa Cruz e Campo Grande. Já o outro preso é um ex-traficante que entrou para a milícia.

Em Queimados e Nova Iguaçu, a Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados prendeu nove milicianos e interditou estabelecimentos de venda irregular de gás e provedores clandestinos de sinal de internet. Ainda em Nova Iguaçu, a Delegacia de Polícia Interestadual – Divisão de Capturas (Polinter) prendeu um miliciano.

Em outro ponto da Baixada, agentes da Delegacia do Consumidor e da Delegacia Fazendária prenderam duas pessoas e interditaram um estabelecimento comercial explorado pela milícia, na Baixada Fluminense.

Com Agência Brasil

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês