Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

MPF pede que PF investigue ataque com fogos ao prédio do STF

Ataque aconteceu na noite de sábado (13)

Por Ernesto Neves Atualizado em 14 jun 2020, 19h43 - Publicado em 14 jun 2020, 19h12

O Ministério Público Federal (MPF) enviou, neste domingo (14), pedido de abertura de inquérito à Polícia Federal para que se investigue a manifestação em que grupo de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro lançou fogos de artifício (assista ao vídeo abaixo) contra o prédio do Supremo Tribunal Federal (STF). O ataque aconteceu na noite de sábado (13).

De acordo com o MPF, “os atos podem ser enquadrados na Lei de Segurança Nacional, nos crimes contra a honra, além da Lei de Crimes Ambientais por abranger a sede do STF, situada em área tombada como Patrimônio Histórico Federal”.

Com o procedimento de abertura de inquérito, o documento será distribuído em duas frentes. A primeira para um ofício criminal, e a outra para apurar danos ao patrimônio público.

Na noite de sábado, cerca de 30 apoiadores do presidente Jair Bolsonaro se reuniram na frente do STF e dispararam morteiros. Eles gritaram xingamentos ao presidente do STF, Dias Toffoli, e aos ministros Cármen Lúcia e Alexandre de Moraes.

Continua após a publicidade

“Isso aqui não é fogos de Copacabana não, é de revolta”, diz um dos manifestantes.

Em reação ao ataque, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), exonerou o subcomandante geral da Polícia Militar, Sérgio Luiz Ferreira de Souza. 

Em nota, o ministro Dias Toffoli, afirmou que o radicalismo é estimulado por uma pequena parcela dos brasileiros.

Continua após a publicidade

“Financiadas ilegalmente, essas atitudes têm sido reiteradas e estimuladas por uma minoria da população e por integrantes do próprio Estado, apesar da tentativa de diálogo que o Supremo Tribunal Federal tenta estabelecer com todos – Poderes, instituições e sociedade civil, em prol do progresso da nação brasileira.”

Relator do inquérito no STF que investiga a disseminação de fake news, o ministro Alexandre de Moraes também se manifestou sobre o incidente.

“O STF jamais se curvará ante agressões covardes de verdadeiras organizações criminosas financiadas por grupos antidemocráticos que desrespeitam a Constituição Federal, a Democracia e o Estado de Direito. A lei será rigorosamente aplicada e a Justiça prevalecerá”, afirmou.

Continua após a publicidade

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.