Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Liberação de produtos à base de ‘Cannabis’ é atacada por bolsonaristas

Aval para a produção de medicamentos foi formalizado em reunião de diretores da Anvisa nesta terça-feira

Por Da Redação - 4 dez 2019, 12h06

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PSL) foram às redes sociais para criticar decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que liberou a regulamentação de produtos à base de maconha medicinal.

“Esquerdopatas transformam decisão técnica da Anvisa sobre uso de um princípio ativo em medicamento como uma celebração à drogadição. Há vários remédios que são a base da papoula, de onde se extrai a morfina. Nem por isso o consumo de ópio está liberado no Brasil”, escreveu o deputado federal Marcos Feliciano (Podemos) em sua página no Twitter.

O ministro da Cidadania, Osmar Terra, representante do governo empenhado na cruzada contra o presidente da Anvisa, William Dib, para barrar a liberação da substância no país, gravou um vídeo em que minimizou a decisão. “Presidente da Anvisa é derrotado e a diretoria recusa permissão para plantio e uso de maconha como medicinal. Decisão só referenda o que já é feito, como venda do canabidiol em farmácia, separado, como remédio controlado. O que sempre defendemos”, escreveu.

Até então, apenas um medicamento à base de Cannabis tinha permissão sanitária para ser comercializado no país. A medida amplia a venda para ocorrer em larga escala e inaugura uma nova modalidade de produtos a ser fiscalizada pela Anvisa.

Publicidade

“Estou saindo da reunião da CCJ e recebi a informação de que a Anvisa está votando liberar plantação de maconha no Brasil. Não sei se procede, mas, se for verdade, é um absurdo! Como isso está ocorrendo assim, sem discussão!?! Alguém aí em Brasília, por favor, apure isso!”, escreveu a deputada estadual Janaína Paschoal (PSL).

“Podem tirar o cavalinho da chuva com essa ideia de plantar lavoura para uso próprio”, escreveu o deputado federal Daniel Silveira (PSL).

A votação a favor da regulamentação foi unânime durante reunião da Diretoria Colegiada da Anvisa realizada na manhã desta terça-feira, 3, na sede da agência. O plantio da maconha medicinal, que também foi submetida à apreciação dos diretores, foi vetada na mesma ocasião.

Publicidade