Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Jovem indiana é premiada por protestar contra falta de banheiro

Uma mulher indiana foi premiada pela dura decisão de abandonar a casa de seu marido após dias de seu casamento para protestar contra a ausência de um banheiro no local, disse um oficial na quinta-feira.

Anita Narre será premiada com 10 mil dólares pela organização não-governamental Sulabh International por ter se recusado a defecar em um lugar aberto em seu vilarejo no centro de Madhya Pradesh, de acordo com o de seu distrito.

“Narre motivou outras mulheres de sua vila a obrigar seus maridos a construir banheiros. A vila hoje é totalmente diferente, graças ao seu ato corajoso”, contou B. Chadrasekhar à AFP pelo telefone.

Narre deixou a casa de Shivram após seu casamento em maio do ano passado, porque a casa não possuía um banheiro interno. Ela retornou somente depois de ele ter construído um com o auxílio dos oficiais do distrito.

Chandrasekhar disse que uma campanha de saneamento para construir banheiros gratuitamente no distrito já havia esbarrado no pensamento das pessoas de que seria “sujo” fazer suas necessidades dentro de casa.

“A história de Narre está mudando as opiniões e nossa unidade de saneamento novamente no caminho”, disse ele.

“Muitas pessoas de vilas próximas também seguiram o exemplo e nos pediram que construíssemos latrinas. Usamos o bom exemplo de Narre e buscamos ajudá-la a motivar outros a usarem banheiros.”

A falta de banheiros e outras medidas apropriadas de saneamento custam à Índia aproximadamente 54 bilhões de dólares devido a doenças ligadas à má higiene, como perda de produtividade e outros aspectos, descobriu um estudo do Banco Mundial.

O problema se intensifica nas áreas rurais, onde as mulheres sofrem ainda mais devido à escassez de banheiros.

“Mulheres têm que esperar anoitecer pelo bem de sua privacidade antes de atender ao ‘chamado da natureza’. Elas têm que sair antes de o sol nascer ou esperar que ele se ponha”, o fundador da Sulabh International, Bindeshwar Pathak, informou à AFP.

“Narre deu um passo muito corajoso ao deixar seu marido, porque o orgulho de sua família e de toda a sua vila estava em questão. Anunciamos o prêmio porque queríamos encorajar garotas ao redor do país a se pronunciar”, considerou Pathak.

Um estudo da ONU em 2010 descobriu que o número de pessoas na Índia com acesso a celulares superava o das que tinham acesso a banheiros.

O número de usuários de telefones móveis na Índia totaliza 894 milhões na última contagem, mais da metade da população de 1,2 bilhão do país.

Por outro lado, apenas 366 milhões de pessoas –em torno de um terço da população– têm acesso a saneamento básico, computou o estudo.

Jairam Ramesh, o ministro indiano de Desenvolvimento Rural, na quarta-feira clamou por uma tentativa de transformar a Índia em um país “livre da defecação ao ar livre” nos próximos dez anos.

Ramesh afirmou ser vergonhoso que a Índia seja responsável por quase 60% das defecações a céu aberto no mundo.