Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Identificada mãe que deu à luz ao morrer em acidente

Irmã de Ingrid Ribeiro, que vivia em São José dos Pinhais (PR), confirmou morte. Bebê sobreviveu junto a vísceras da mãe, ligado a ela pelo cordão umbilical

Familiares identificaram o corpo da gestante que deu à luz uma menina ao morrer em um grave acidente na rodovia Régis Bittencourt (BR-116), em Cajati (SP), na última quinta-feira, 26. Ingrid Ribeiro morava no bairro Barro Preto, em São José dos Pinhais (PR), região metropolitana de Curitiba, e faria 21 anos nesta segunda-feira, 30.

O corpo, que estava no Instituto Médico Legal (IML) de Registro (SP), já foi levado para a cidade paranaense. De acordo com Adriana Ribeiro, irmã da vítima, o sepultamento será Cemitério Padre Pedro Fuss, em São José dos Pinhais.

Segundo Adriana, Ingrid saiu de casa com destino a São Paulo e não entrou mais em contato. A família viu notícias do acidente com o caminhão e desconfiou que se tratava da jovem. “A todos que estão me mandando msg (sic), querendo informações sobre minha irmã: sim, ela faleceu em um acidente de caminhão e a bebê dela está bem!”, publicou Adriana em seu perfil no Facebook, na noite deste domingo, 29.

Veja também

Ingrid Ribeiro, que estava em fase final de gestação, viajava de carona quando o caminhão ficou desgovernado e capotou na região da Serra do Azeite, em Cajati. Ela foi lançada para fora da cabine e teve o corpo esmagado pela carga de madeira processada. A barriga e o útero dela se romperam, mas o bebê permaneceu vivo entre as vísceras da mãe. De acordo com o médico Elton Fernando Barbosa, que socorreu a criança, a criança sobreviveu de forma milagrosa, ao se manter aconchegada pelas entranhas da mãe, ligada a ela pelo cordão umbilical.

A criança foi levada ao Hospital Regional de Pariquera-Açu e, segundo os médicos, está bem de saúde. Sem saber que a família já havia dado ao bebê o nome de Jenifer, a equipe do hospital envolvida nos cuidados com a menina a “batizou” de Giovana.

O hospital informou que aguarda a chegada da documentação para liberar a criança à família, assim que receber alta. O motorista do caminhão, Jhonatan Ferreira, também ficou ferido no acidente, mas já teve alta. Ele vai responder a inquérito por homicídio culposo – sem intenção de matar.