Clique e assine a partir de 9,90/mês

GCM de Santo André morre após ser agredido em parque

Atingido por socos de homem que fumava narguilé próximo a playground, Benedito Manoel da Silva sofreu três paradas cardiorrespiratórias e não resistiu

Por Giovanna Romano - Atualizado em 16 jan 2020, 14h42 - Publicado em 16 jan 2020, 14h20

O guarda civil municipal de Santo André (SP) Benedito Manoel da Silva, de 56 anos, morreu na madrugada desta quinta-feira, 16, após ser vítima de agressões próximo ao playground do Parque Celso Daniel, área nobre da cidade.

A Prefeitura de Santo André informou que, por volta das 16h45 da quarta-feira 15, um homem estava usando narguilé no local, quando os responsáveis por crianças que usavam o playground recorreram à sala de segurança da GCM para pedir ajuda. Silva, então, abordou o homem, pedindo para que ele parasse de fumar, e em seguida voltou à sala.

Minutos depois, os pais retornaram à sala relatando que o homem insistia na prática. Ao solicitar novamente que ele parasse, o guarda passou a ser agredido com socos no peito. Silva foi levado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Central de Santo André e, depois, transferido para o Centro Hospitalar Municipal Newton da Costa Brandão. Ele sofreu três paradas cardiorrespiratórias e não resistiu.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP) do estado, um dos envolvidos nos fatos, de 22 anos, prestará depoimento nesta quinta-feira — o agressor não está preso. “Diligências estão em andamento para esclarecer a ocorrência”, diz o órgão.

Continua após a publicidade

Benedito Silva atuou durante 33 anos na Guarda Civil Municipal. O velório ocorrerá a partir das 13h desta quinta-feira no cemitério do Curuçá e o sepultamento está previsto para a sexta-feira, 17, às 9h15, no mesmo local.

A prefeitura da cidade lamentou a morte do agente e prestou condolências à família. O caso está sendo investigado pelo 4º Distrito Policial de Santo André e a causa da morte será apontada por um laudo necroscópico.

Publicidade