Clique e assine a partir de 9,90/mês

Fim da ação da Petrobras e Marun nas manchetes de 4/1/17

Estatal pagará US$ 2,95 bilhões a investidores estrangeiros

Por Da redação - 4 jan 2018, 07h53

Acordo entre Petrobras e investidores estrangeiros e ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, estão nas manchetes dos principais jornais do país nesta quinta-feira. Estatal vai desembolsar R$ 9,5 bilhões para encerrar ação nos EUA por prejuízos decorrentes de descobertas da Lava Jato. Com fim da incerteza sobre processo de investidores internacionais, papéis sobem 1,26% na Bolsa. Para o ministro, defesa que o governador Geraldo Alckmin tem feito da reforma da Previdência reaproxima governo e PSDB.

O Globo
Petrobras pagará 6 vezes o valor que conseguiu reaver
Três anos após a Operação Lava-Jato revelar o esquema de corrupção na Petrobras, a estatal assinou acordo para pagar US$ 2,95 bilhões (R$ 9,5 bilhões) a investidores estrangeiros. São seis vezes o R$ 1,475 bilhão que a petroleira recuperou até agora no Brasil. O pagamento deve afetar o balanço do quarto trimestre, e parte dos analistas prevê prejuízo. 

Folha de S.Paulo
Petrobras encerra ação nos EUA por R$ 9,5 bi
O pagamento de dividendos sobre seu lucro de 2017 deverá ser prejudicado. O petrolão, apurado no âmbito da Justiça Federal e que causou turbulência ainda inconclusa no Brasil, concentrou-se em casos de corrupção envolvendo executivos e funcionários da Petrobras, empreiteiras contratadas e políticos.

Conselheiros do TCM-SP têm mordomias e supersalários
O Tribunal de Contas do Município de São Paulo, único do país sem técnicos entre seus conselheiros, tem mordomias e supersalários. Os cinco titulares, indicações políticas, ganham R$ 30.471 ao mês, mais do que o prefeito (R$ 24,1 mil). Dois deles ainda têm direito a auxílio-moradia (R$ 4.377),o que faz com que recebam acima do teto de R$ 33,7 mil de ministros do STF. 

O Estado de S.Paulo
Apesar de ‘mágoa’, Planalto pode apoiar Alckmin, diz Marun
O ministro da Secretaria de Governo desde dezembro, Carlos Marun, disse ao Estado que o governo começará a discutir nomes para a eleição presidencial somente depois que a reforma da Previdência for votada na Câmara. A votação está prevista para o mês que vem. Não descarta, porém, que o PMDB apoie uma eventual candidatura do governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) ao Planalto.

Valor Econômico
Petrobras paga R$ 9,6 bi nos EUA por corrupção
A Petrobras fechou acordo que suspende ação coletiva movida nos EUA por acionistas e detentores de títulos da estatal, que reclamavam na Justiça de prejuízos sofridos com o esquema de corrupção investigado pela  Lava-Jato. A companhia concordou em pagar indenização de US$ 2,95 bilhões (cerca de R$ 9,6 bilhões).

Continua após a publicidade
Publicidade