Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Casal é preso suspeito de torturar e matar filha de 1 ano

Polícia trabalha com as hipóteses de homicídio e tortura; pais se mostraram indiferentes durante depoimento, afirmou delegado

A Polícia Civil de Minas Gerais prendeu em flagrante nesta quinta-feira um casal suspeito de ter matado a filha de um ano e sete meses em Uberaba, no Triângulo Mineiro. Os pais da menina são considerados os principais suspeitos do crime.

Durante depoimento prestado na quinta, Kelly Beatriz Pereira de Lima, de 34 anos, e o marido, Francisneio Santos Brito, de 33 anos, se mostraram indiferentes, “como se tivesse somente dado um corretivo na criança”, afirmou o delegado Luiz Tortamano. Os pais não confessaram torturar ou maltratar a menina, mas também não negaram a autoria do crime.

O delegado afirmou que a corporação investiga duas hipóteses – a de homicídio e a de tortura com resultado em morte. Segundo ele, um laudo do Instituto Médico Legal vai apontar as causas do óbito, que ele acredita ter sido por agressão física. O casal já foi encaminhado à Penitenciária de Uberaba e tem outros seis filhos.

Em 2012, houve uma denúncia contra Kelly. Ela é suspeita de colocar uma das filha para adoção de forma ilegal, em troca de dinheiro. Mas o processo não chegou a ser completado. Desde então, os pais e sete dos dez filhos que moravam com eles começaram a ser acompanhados pelo Conselho Tutelar. Responsável pelo caso, a assistente social Isabel Leite disse que criança está sob os cuidados de uma madrinha.

Em razão dessa denúncia, a assistente social afirmou que os filhos de Kelly – pelo menos dois deles frutos de outras relações – foram acolhidos em uma instituição e, durante esse período, o casal passou por tratamento de desintoxicação por uso de drogas.

As crianças só voltaram ao convívio dos pais em abril deste ano. Três delas já não moravam com eles – duas estão com a avó materna e uma com a madrinha. Após a morte da bebê, vítima de homicídio ou tortura, as crianças foram novamente acolhidas por determinação judicial.

Leia também:

Caso Bernardo: como identificar o pedido de ajuda de uma criança

Caso Bernardo: menino foi dopado antes de ser assasinado