Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Casal é condenado por extorquir dinheiro do padre Júlio Lancellotti

Anderson Batista e Conceição Eletério pegam 7 anos e 3 meses de prisão

Por Da Redação 24 Maio 2011, 01h07

Um casal acusado de ameaçar o padre Júlio Lancellotti com falsas denúncias de pedofilia foi condenado a sete anos e três meses de prisão por extorsão. A sentença foi dada nesta segunda-feira pelo juiz Eduardo Crescenti Abdalla, da 25ª Vara Criminal da Barra Funda, em São Paulo.

Segundo a denúncia, Anderson Marcos Batista e Conceição Eletério pediram dinheiro para não fazer acusações contra o padre. Anderson é um ex-interno da Febem, hoje Fundação Casa, onde conheceu o padre. A extorsão começou em 2004. Lancelotti cedeu à chantagem do casal e admitiu ter desembolsado 56 mil reais, incluindo o pagamento de prestações de uma caminhonete Mitsubishi Pajero, até 2007, quando comunicou o caso à polícia. Em julgamento, policiais que investigaram o caso confirmaram a acusação de extorsão.

Em juízo, os acusados negaram ter chantageado Lancelotti. Segundo eles, a denúncia é uma represália do padre, que teria oferecido 200 mil reais a Anderson para dar uma entrevista desmentindo um caso amoroso entre eles. O casal chegou a ser absolvido da acusação, em 2008, por falta de provas, mas o Ministério Público recorreu. Conceição, que depôs espontaneamente, poderá recorrer da nova sentença em liberdade. Anderson, que aguardava o julgamento em prisão preventiva, teve o pedido negado.

(com Agência Estado)

Continua após a publicidade

Publicidade