Clique e assine com 88% de desconto

Cabo da Rota executado sofreu ameaça do PCC

Flores foi assassinato um dia após operação que visava "estrangular" a facção criminosa

Por Da Redação - Atualizado em 4 maio 2019, 19h10 - Publicado em 4 maio 2019, 18h53

Um colega de corporação do cabo da Rota Fernando Flavio Flores, 38, assassinado na manhã deste sábado, 4, em São Paulo, deu uma informação valiosa ao 101º DP, onde o caso está sendo investigado. Segundo o depoimento, Flores foi ameaçado há seis meses pelo Primeiro Comando da Capital. O autor da ameaça foi Fabio da Silva, 36, conhecido como Zé Bedeu, integrante da facção criminosa. Ele foi preso em 2012 e é apontado como uma liderança regional do PCC na capital paulista.

Flores: deixa mulher e três filhos Reprodução/VEJA

Flores foi alvejado com tiros em regiões como cabeça e tórax. Morreu na hora. O crime ocorreu na porta de sua casa, no bairro de Interlagos, quando havia acabado de trancar o portão da garagem. Ele deixaria a residência rumo ao trabalho.

Flores foi executado um dia após a Polícia Militar de São Paulo cumprir cinquenta mandados de prisão e trinta de busca e apreensão na Operação Jiboia. O nome da operação é uma referência à cobra e representa o objetivo de “estrangular” a organização criminosa.

A ação ocorreu em dezenove cidades e envolveu cerca de 500 policiais militares. Treze pessoas foram presas em flagrante e um adolescente foi apreendido. Os agentes encontraram 1 milhão de reais em dinheiro vivo, sete armas, quatro balanças utilizadas para pesar droga, anotações da facção, sete veículos e mais de cinquenta celulares.

Publicidade