Clique e assine a partir de 9,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Lula tenta convencer Dilma a acalmar PR

Por Catia Seabra e Ana Flor, na Folha: Diante das ameaças do PR, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva começou a atuar para tentar convencer a presidente Dilma Rousseff a procurar os “magoados” do partido e evitar que a crise no Ministério dos Transportes atinja outras legendas. Há duas semanas, Lula disse a aliados […]

Por Reinaldo Azevedo - Atualizado em 31 jul 2020, 11h14 - Publicado em 30 jul 2011, 07h07

Por Catia Seabra e Ana Flor, na Folha:
Diante das ameaças do PR, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva começou a atuar para tentar convencer a presidente Dilma Rousseff a procurar os “magoados” do partido e evitar que a crise no Ministério dos Transportes atinja outras legendas. Há duas semanas, Lula disse a aliados que, mesmo preocupado, não pretendia se intrometer no caso para evitar a imagem de tutor. Mas os recados enviados pela sigla, especialmente por emissários do deputado Valdemar Costa Neto (PR-SP), o fizeram mudar de ideia. Ontem, os dois se encontraram na inauguração da Embaixada da Argentina, em Brasília. Chegaram a agendar uma conversa, mas Lula teve que voltar a São Paulo.

Em conversa com petistas, o ex-presidente tem defendido que Dilma procure o ex-ministro Alfredo Nascimento (PR-AM) e o senador Blairo Maggi (PR-MT) -além de acenar para o PR paulista, controlado por Valdemar. Lula e outros petistas foram alertados sobre o estado de espírito do aliado, que comparam ao do então deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) antes de ele denunciar o escândalo do mensalão. A Folha apurou que Valdemar se queixa de isolamento. Incomodado com as demissões de indicados do PR, ele convocou reunião da cúpula do partido para terça-feira. Entre os convidados está Luiz Antonio Pagot, demitido do comando do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes). Horas antes, o ex-ministro Alfredo Nascimento deve ocupar a tribuna do Senado. O governo teme que ele ataque o atual ministro Paulo Sérgio Passos.

AMEAÇAS
Reservadamente, dirigentes do PR avisam, em nome de Valdemar, que a crise não se restringirá ao partido. Dizem, por exemplo, que a apreensão de computadores do Ministério dos Transportes impõe riscos a outros partidos da base governista. Mensageiros de Lula já levaram sua inquietação ao governo. Aqui

Publicidade