Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Witzel já conta com sete pedidos de abertura de impeachment na Alerj

Clima entre deputados não é favorável ao governador do Rio

Por Mariana Muniz - 1 Jun 2020, 21h11

Com sete pedidos de abertura de processo de impeachment contra Wilson Witzel, a Assembleia Legislativa do Rio se tornou um lugar hostil ao governador do estado – que tenta, por enquanto sem sucesso, melhorar sua relação com os deputados.

Nos bastidores da Casa, a percepção é de que a situação de Witzel é muito frágil e que é questão de tempo para que processo de impedimento seja tirado da gaveta.

A explicação não é difícil: sem base política e sem alguém para fazer a interlocução com os parlamentares depois que André Moura foi mandado embora, o governador se tornou ainda mais impopular após ser alvo de investigação pela PGR.

O resultado é que, no momento, ninguém quer ter o nome vinculado ao governador. “Parece que é caso perdido”, resumiu ao Radar um interlocutor.

Continua após a publicidade

Como manda a política, talvez ainda seja cedo para um diagnóstico tão preciso. A esperança de Witzel está nos cinco deputados estaduais que estavam presos pela Operação Furna da Onça e reassumiram seus mandatos na semana passada. Recém-chegados, eles podem dar sobrevida ao governador.

Publicidade