Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

TRF nega liberdade a Adriana Ancelmo por “joias e dinheiro”

Desembargador Abel Gomes acolheu recurso do Ministério Público contra a prisão domiciliar

Por Da Redação - Atualizado em 20 mar 2017, 19h19 - Publicado em 20 mar 2017, 18h24

O desembargador Abel Gomes, do Tribunal Federal Regional da 2ª Região (TRF-2), acaba de decidir que a ex-primeira-dama Adriana Ancelmo vai permanecer na cadeia.

Na decisão, o desembargador afirma que ela manipulou joias e dinheiro em espécie, mesmo após a prisão de Sérgio Cabral. E que por isso, ela foi presa pouco tempo após o marido. 

Gomes também rebate o argumento de que Adriana precisa cuidar dos filhos. Segundo ele, a decisão precisaria ser estendida a todas as outras mulheres presas na mesma condição.

O desembargador acolheu o mandado de segurança do Ministério Público Federal contra a decisão do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio. Na última sexta (17), Bretas havia convertido a prisão preventiva de Adriana em domiciliar. 

Continua após a publicidade

Veja a íntegra da decisão que mantém Adriana Ancelmo presa

Adriana Ancelmo exige que Cabral permaneça em Bangu

Publicidade