Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Na reta final do primeiro mandato, Aras exibe números da PGR

Em um ano e meio de PGR, procurador tocou 31 operações de combate à corrupção e lavagem de dinheiro contra alvos com foro no STF e STJ

Por Robson Bonin Atualizado em 26 mar 2021, 10h01 - Publicado em 26 mar 2021, 07h30

Chefe da PGR, Augusto Aras entrou nesta semana no último semestre de gestão — ele deve ser reconduzido por Bolsonaro — fazendo uma análise de todo o trabalho realizado desde que chegou ao comando do MPF.

Com perfil discreto na área criminal se comparado aos antecessores, Aras tocou nesse um ano e meio de procuradoria 31 operações de combate à corrupção e lavagem de dinheiro contra alvos com foro no STF e STJ.

Nesse mesmo período, o órgão ofereceu 35 denúncias — 28 ao STJ e sete ao STF — e assinou 28 acordos de delação.

Leia também:

  • Pesquisa mostra que brasileiro subestimou a pandemia e culpa Bolsonaro.
  • Bolsonaro marcha firme para impor agenda ideológica no ensino.
  • Em busca do tempo perdido, UE vai restringir exportações de vacinas
  • Brasil ainda perde tempo em debates sobre a falsa dicotomia entre saúde e economia.
  • Ministério da Infraestrutura: governo espera arrecadar R$ 10 bilhões com pacote de concessões.
  • STF se prepara para julgar uma ação decisiva para a quebra de patentes.
  • O futuro incerto de Sergio Moro depois da derrota no STF.
Continua após a publicidade
Publicidade