Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Investigado por corrupção, Ricardo Coutinho é denunciado pela quinta vez

Ex-governador da Paraíba é acusado de lavagem de dinheiro na construção do 'QG' de seu grupo

Por Mariana Muniz - Atualizado em 13 jul 2020, 19h17 - Publicado em 13 jul 2020, 19h16

O ex-governador da Paraíba Ricardo Coutinho foi denunciado pela quinta vez nesta segunda-feira no âmbito na Operação Calvário. Na denúncia oferecida à Justiça pelo Ministério Público do estado, o político é acusado de lavagem de dinheiro e ocultação de valores.

Segundo a acusação, Coutinho, na condição de chefe de uma organização criminosa, teria ocultado “a proveniência ilícita dos recursos desviados, na medida em que se utilizou dos valores para aquisição, reforma e ambientação” de um imóvel onde funcionava a sede de uma das “bases operacionais” do grupo – conhecida como “Canal 40”.

O Ministério Público aponta que Coutinho, como suposto líder da empresa criminosa, lançava mão de interpostas pessoas, algumas delas também integrantes do grupo, “para dissimular e ocultar a origem ilícita dos recursos destinados a reforma e decoração” do QG.

De acordo com a denúncia, esses valores seriam provenientes de desvios de verbas públicas decorrente da implementação de um “sistema de corrupção enraizado nas diversas pastas do Governo do Estado”, a exemplo das Organizações Sociais Cruz Vermelha, IPCEP e Lifesa, além de “centenas de procedimentos inexigibilidades na Secretaria de Educação”.

Continua após a publicidade

Por isso, afirmam a reforma no imóvel do QG do grupo de Coutinho teve que ser feita de forma secreta, sem divulgação, sem seguir os tramites administrativos necessários a toda e qualquer construção civil, “de forma que nos levam a processos de branqueamento de ativos (lavagem de dinheiro)”.

Além do ex-governador, foram denunciados o irmão dele, Coriolano Coutinho, e mais outras cinco pessoas.

Publicidade