Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Em mensagens, Dominguetti diz ter informações do ‘gabinete’ de Bolsonaro

Policial que tentava vender vacinas ao governo também revela um possível encontro com o próprio Bolsonaro e o CEO da Davatti

Por Gustavo Maia Atualizado em 7 jul 2021, 09h23 - Publicado em 6 jul 2021, 17h59

As mensagens de celular trocadas pelo cabo da Polícia Militar Luiz Paulo Dominguetti, que negociava vacinas com o governo de Jair Bolsonaro, mostram que o operador teria recebido informações privilegiadas sobre a negociação de vacinas diretamente do gabinete do presidente da República.

No dia 9 de março, Dominguetti escreve a Cristiano Carvalho, o CEO da Davati, empresa que prometia fornecer vacinas ao governo. “Já me posicionaram aqui. Amanhã até 12h passam o e-mail a ele. Só a quantidade que não tem ainda”, diz Dominguetti.

+ Golpistas que negociavam com Bolsonaro festejaram ‘último dia de pobre’

Cristiano tenta saber a origem da informação passada pelo operador da empresa a ele. “Informação do Blanco, posso dizer?”, questiona o CEO.

“Gabinete da Presidência da República. Melhor que ele”, responde o policial.

Em outra sequência de mensagens, no dia 13 de março, Dominguetti diz ao CEO da Davati que está próximo de conseguir uma agenda com o próprio Bolsonaro.

“Estão viabilizando sua agenda com o presidente”, diz o policial a Cristiano.

Mensagens Dominguetti
Reprodução/Reprodução
Continua após a publicidade
Publicidade