Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Deputada cobra sessão extraordinária para julgar assédio sexual

Isa Penna (PSOL) já conta com 18 de 48 assinaturas necessárias para abertura de investigação no Conselho de Ética da Alesp.

Por Manoel Schlindwein 11 jan 2021, 20h15

A deputada estadual Isa Penna (PSOL) já soma o apoio de 18 parlamentares no pedido para que o caso de violência sexual do qual foi vítima em dezembro seja julgado ainda no mês de janeiro, durante o recesso.

Entre os que apoiaram a requisição estão Janaína Paschoal (PSL), Leci Brandão (PCdoB), Delegada Graciela (PL), Marina Helou (Rede), Professora Bebel (PT), Conte Lopes (PP) e Major Mecca (PSL), além da bancada do PSOL.

O caso envolve Fernando Cury (Cidadania), flagrado numa sessão de dezembro de 2020 colocando a mão na lateral dos seios da deputada.

No dia 28 de dezembro, a procuradoria da Assembleia emitiu parecer informando que o Conselho de Ética que julgará o caso da deputada só poderá se reunir durante o recesso caso tenha respaldo da maioria absoluta, de 48 parlamentares.

“Nem Macris nem Doria me procuraram para oferecer solidariedade”, diz a deputada, em referência ao presidente da Casa, Cauê Macris, e o governador João Doria, ambos do PSDB.

Agora, Isa Penna estuda a possibilidade de entrar com um mandado de segurança para a abertura da sessão. Caso não consiga, terá que esperar pela retomada dos trabalhos, prevista para fevereiro.

Continua após a publicidade
Publicidade