Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Chapa de Pezão e Dornelles é cassada

O TRE do Rio cassou a chapa de Pezão

O TRE do Rio cassou a chapa do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, e seu vice, Francisco Dornelles, nesta quarta (8).

Procuradoria Regional Eleitoral no Rio de Janeiro afirma que foram omitidos gastos da ordem de R$ 10 milhões na última campanha de governador, em 2014.

O julgamento começou na terça (7), mas foi suspenso após pedido de vista da desembargadora eleitoral Fernanda Tórtima. 

A cassação, no entanto, não tem efeito imediato. Ela só vai valer após o recurso de Pezão ser julgado pelo Tribunal Superior Eleitoral.

A ação judicial foi apresentada pelo deputado Marcelo Freixo, em 2014. Segundo entendimento do TRE, caso seja cassado de vez terá de ser realizada eleição direta.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Força Pezão.

    Curtir

  2. Sidney Barros

    Se não tivesse foro previlegiado, esse cara de areia mijada ja tava em cana junto com o Cabral.

    Curtir

  3. Ailton Silva

    Uma armacao da Justica ajustada com essa quadrilha. A cassacao seria um premio para o Pezao que destruiu e jogou o Rio de Janeiro nesse buraco que nao tem volta. O povo do Rio de Janeiro merece que essa gente fique ate o ultimo dia de mandato para afundar cada dia mais o Estado.

    Curtir