Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Processo de cinegrafista morto nas manifestações de 2013 está parado

Santiago Andrade, da TV Bandeirantes, morreu durante protestos no Rio contra a Copa Mundo

Por Mariana Muniz - Atualizado em 13 fev 2020, 14h30 - Publicado em 13 fev 2020, 13h30

Os desembargadores da 8ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio decidiram que o julgamento de Caio Silva de Souza, um dos acusados de provocar a morte do cinegrafista Santiago Andrade em 2014, só poderá ser realizado quando a TV Bandeirantes entregar à Justiça os cartões de memória da câmera utilizada pelo cinegrafista no momento em que ele foi atingido por um rojão. 

O habeas corpus atendeu a um pedido da defesa de Caio, e ratificou decisão dada no ano passado pelo desembargador Gilmar Teixeira. Apesar de intimada, a emissora, até agora, entregou apenas uma mídia contendo 15 segundos de gravação. 

Publicidade