Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A delegada da PF que uniu esquerda e Centrão contra Coaf nas mãos de Moro

Considerada a "mãe da Lava Jato", Erika Marena é vista como "linha dura" por parlamentares

Por Evandro Éboli - 13 May 2019, 09h40

Parlamentares de partidos de esquerda e do Centrão têm mais um argumento em comum para impedir que o Coaf continue nas mãos de Sérgio Moro. A convicção desses parlamentares de que o órgão irá virar uma extensão da polícia foi a nomeação, em março, da delegada da Polícia Federal Erika Marena como conselheira do órgão.

Tida como a “mãe da Lava Jato”, Marena, que já ocupa cargo no Ministério da Justiça, é considerada “linha dura” por essa turma. Foi Marena quem solicitou em 2017 a prisão do ex-reitor da UFSC Luiz Carlos Cancellier, que se matou depois que deixou a prisão.

Sobre esse episódio, Moro isentou sua subordinada de qualquer responsabilidade logo que a nomeou. Lamentou o episódio e afirmou se tratar de uma fatalidade.

Publicidade