Clique e assine com 88% de desconto
Noblat Por Coluna O primeiro blog brasileiro com notícias e comentários diários sobre o que acontece na política. No ar desde 2004. Por Ricardo Noblat. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Os maus modos do ministro da Educação

Audiência relâmpago

Por Ricardo Noblat - Atualizado em 10 dez 2019, 09h00 - Publicado em 10 dez 2019, 08h00

Os que ficaram sabendo à época jamais esqueceram. E fazem questão de lembrar no cafezinho da Câmara dos Deputados ou nos corredores do Senado sempre que o assunto das conversas gira em torno do ministro Abraham Weintraub, da Educação.

Passado algum tempo desde sua posse, ele recebeu em audiência a diretora do Escritório da UNESCO em Brasília e Representante da UNESCO no Brasil, Marlova Jovchelovitch Noleto, nomeada para o cargo em julho do ano passado.

Marlova é mestre em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Foi bolsista da Fundação Kellog e da Eisenhower Exchange, tendo participado de um programa acadêmico de intercâmbio profissional nos Estados Unidos.

Aprofundou seus estudos sobre o Estado de bem-estar social na Suécia, como bolsista da Federação Sueca de Assistentes Sociais, e completou o treinamento executivo em Administração Pública no Instituto de Administração Pública de Nova York.

Publicidade

– Ministro, estou aqui para me apresentar e me pôr à sua disposição. É um prazer conhecê-lo – disse Marlova ao ser admitida no gabinete de  Weintraub. Que respondeu de bate pronto:

– Sei quem é a senhora. É uma comunista. Não tenho prazer em conhecê-la.

– Não, não sou comunista – retrucou Marlova.

– É, é sim – insistiu o ministro.

Publicidade

Então a diretora da UNESCO deu-lhe as costas e saiu.

Foi a audiência mais curta da administração de Weintraub até agora.

Publicidade