Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Noblat Por Coluna O primeiro blog brasileiro com notícias e comentários diários sobre o que acontece na política. No ar desde 2004. Por Ricardo Noblat. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O culpado é o porteiro

História a ser passada a limpo

Por Ricardo Noblat Atualizado em 30 out 2019, 19h13 - Publicado em 30 out 2019, 18h04

Meia volta volver. O porteiro do condomínio onde o presidente Jair Bolsonaro tem casa na Barra da Tijuca mentiu. Foi o que disse há pouco a promotora Simone Sibilio, do Ministério Público do Rio.

“A prova técnica juntada aos autos mostra que no dia 14/03/2018 às 17h07, quem autoriza a entrada de Élcio Queiroz no condomínio é Ronnie Lessa”, informou a promotora.

Em dois depoimentos prestados à Polícia Civil, o porteiro havia dito que telefonou na tarde daquele dia para a casa de Bolsonaro. Um homem, de nome Élcio, pedia licença para entrar.

De dentro da casa de Bolsonaro, a voz de um homem, que o porteiro identificou como sendo a do “seu Jair”, respondeu que Élcio poderia entrar. Élcio e Lessa estão presos por terem matado Marielle Franco.

“As testemunhas prestam depoimento e o Ministério Público checa. Nada passa sem ser checado”, garantiu a promotora. A ser assim, há muito ainda a ser investigado sobre essa história.

Se o porteiro mentiu ou se enganou por que um grupo de procuradores, no último dia 17, foi à Brasília consultar o ministro Dias Toffoli sobre se as investigações deveriam ser federalizadas?

Continua após a publicidade

Uma vez que o nome de Bolsonaro fora citado, e como ele tem direito a foro privilegiado, caberia ao Supremo Tribunal Federal investigá-lo. Os procuradores se precipitaram?

Quando voaram à Brasília não sabiam que o porteiro mentira ou se enganara? Nada haviam checado? A checagem só ocorreu de ontem para hoje? Não faz sentido.

Também não faz sentido que, informado pelo governador do Rio no último dia 9 que seu nome fora citado, Bolsonaro até ontem desconhecesse que o porteiro mentira ou se enganara.

Bolsonaro, como ele mesmo admitiu, orientou seu advogado a defendê-lo em entrevista ao Jornal Nacional. Por que o advogado não o defendeu com o argumento de que o porteiro mentira?

O Ministério Público do Rio foi uma das fontes de informação do Jornal Nacional. Por que não informou à Globo que o porteiro mentira? Teria abortado a reportagem, com certeza.

Sobrou para o porteiro mais cedo do que se imaginava. Só falta acusá-lo de ser ligado ao Foro de São Paulo.

Continua após a publicidade
Publicidade