Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Carlos Bolsonaro ataca GSI e general Heleno, que é elogiado por Olavo

Zero Dois disse que seguranças do GSI são subordinados a algo que não acredita, enquanto escritor elogiou 'bravura' de ministro em ato de desagravo a Moro

Por André Siqueira - Atualizado em 1 jul 2019, 22h06 - Publicado em 1 jul 2019, 20h44

Depois de um período de aparente calmaria nas redes sociais, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) voltou a atacar. Nesta segunda-feira, 1º, o Zero Dois, como é conhecido o filho do meio do presidente Jair Bolsonaro, fez críticas indiretas ao ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, em sua conta oficial no Twitter, de onde dispara, com certa frequência, suas mensagens cifradas.

Carlos compartilhou uma publicação de um perfil bolsonarista, o @snapnaro. A página compartilhou um vídeo no qual uma mulher, que se identifica como jornalista, acusa o GSI, comandado por Heleno, e a Força Aérea Brasileira (FAB), de serem cúmplices do sargento Manoel Silva Rodrigues. A publicação, de tom conspiratório, diz que Bolsonaro está “cercado de agentes do Foro de São Paulo”, entidade que reúne partidos de esquerda da América Latina.

Como antecipou a coluna Radar, Silva Rodrigues foi preso na última semana com 39 quilos de cocaína transportados em um avião da FAB, que integrava a comitiva que acompanhou Bolsonaro à reunião do G20 no Japão.

Publicidade

“Por que acha que não ando com seguranças? Principalmente aqueles oferecidos pelo GSI? Sua grande maioria pode ser até homens bem intencionados e acredito que seja, mas estão subordinados a algo que não acredito. Tenho gritado em vão há meses internamente e infelizmente sou ignorado”, diz Carlos Bolsonaro.

Em outro trecho do comentário, ele afirma que está “sozinho nessa, podendo a partir de agora ser alvo mais fácil ainda tanto pelos de fora tanto por outros”. Zero Dois diz, ainda, que “há muito mais nisso tudo”.

Chamou a atenção, no entanto, o fato do guru da ala ideológica do governo Bolsonaro, o escritor Olavo de Carvalho, a quem Carlos Bolsonaro segue, ter afirmado, em seu Twitter, que “ver o general Heleno no palanque, ao lado do Eduardo Bolsonaro, defendendo com bravura o nosso presidente, foi um grande momento para todos os brasileiros”.

No domingo 30, o chefe do GSI participou das manifestações em desagravo ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, ao lado do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Heleno afirmou que “Moro é um “herói que está sendo colocado na parede para tirarem da cadeia um bando de canalhas que afundaram o país”.

Publicidade

Desde o início do governo Bolsonaro, os militares são alvos preferenciais de Olavo de Carvalho. O autoproclamado filósofo já chamou o vice-presidente Hamilton Mourão de “idiota”, o general Santos Cruz, ex-ministro da Secretaria de Governo, de “merda”, e o ex-comandante do Exército, que é assessor especial do GSI, general Eduardo Villas Bôas, de “um doente preso a uma cadeira de rodas”. Villas Bôas sofre de uma doença degenerativa que afeta o sistema nervoso.

Publicidade