Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Felipe Moura Brasil Por Blog Análises irreverentes dos fatos essenciais de política e cultura no Brasil e no resto do mundo, com base na regra de Lima Barreto: "Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo".

Vídeo – José Medeiros rebate ataque de Fátima Bezerra a Escola Sem Partido

Prejuízo deixado pelo PT na Petrobras "é irrisório perto do problema na academia"

Por Felipe Moura Brasil - Atualizado em 8 fev 2017, 16h57 - Publicado em 17 jul 2016, 16h15
Montagem Medeiros Fatima

Chega de fabricar petistas

A semana de eleição para a presidência da Câmara dos Deputados, de terror islâmico na França e de golpe militar na Turquia acabou tirando de foco o Senado Federal, mas é preciso registrar um aparte importante feito na quarta-feira (13).

O senador José Medeiros (PSD-MT) rebateu o ataque da metralhadora de rótulos Fátima Bezerra (PT-RN) ao projeto Escola Sem Partido, dando-se ao trabalho de resumir as estratégias históricas da esquerda de conquista do poder político.

“O poder não é dado a ninguém. Existe uma luta fratricida entre grupos querendo chegar ao poder. Ou se toma via armas, ou se toma via convencimento”, disse Medeiros, lembrando que os ditadores soviéticos “Stalin e Lenin defendiam que se tomasse o poder pela força; e, do outro lado, [o ideólogo comunista italiano Antonio] Gramsci dizia ‘vamos tomar por dentro’”.

Publicidade

Tomar por dentro, como se sabe, é uma referência à chamada “Revolução Cultural” – a tática gramsciana, implementada no Brasil nas últimas décadas, de infiltrar militantes nos centros disseminadores de ideias da sociedade (escolas, universidades, mídia, mercado editorial, show business etc.) para inculcar as ideias do Partido na população, e boicotar as adversárias, sem que ela se dê conta de que está sendo manipulada.

O senador reforçou que “há doutrinação, sim”, de estudantes no país, e que o prejuízo deixado pelo PT na Petrobras “é irrisório perto do problema que está ficando na academia” fechada em si mesma.

“Vamos amordaçar por isso os professores? Não”, esclareceu Medeiros. “Mas precisamos encontrar um meio-termo, porque, que nós temos pais preocupados no Brasil, temos”.

Assista.

Publicidade

* Para votar a favor de Escola Sem Partido: AQUI.

* Relembre também aqui no blog:
– Exclusivo – Criador do Escola Sem Partido rebate ataque de Leandro Karnal ao projeto
Vídeo – Rogério Marinho detona UNE e cobra do MEC combate à doutrinação ideológica nas escolas
Faça sua parte: estude

Felipe Moura Brasil ⎯ https://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil

Siga no Twitter, no Facebook e no Youtube.

Publicidade