Clique e assine a partir de 8,90/mês
CannabiZ Por Ricardo Amorim Novidades e reflexões sobre o mercado da cannabis legal, no Brasil e no mundo

Brasileiro cria teste para medir sensibilidade humana à cannabis

Exame genético ajudará médicos na dosagem dos medicamentos e na prevenção de efeitos colaterais

Por Ricardo Amorim - Atualizado em 24 jul 2020, 11h29 - Publicado em 24 jul 2020, 11h04
Pamplona: teste genético para medicina individualizada Proprium/Divulgação

A pergunta é comum entre os médicos que desejam iniciar a prescrição de cannabis: qual a dose ideal? A seu lado, há ainda a preocupação com efeitos colaterais que, apesar de raros, podem anular os benefícios da terapia. Para eliminar essas dúvidas, e os riscos, acaba de chegar ao mercado um teste genético que pode revolucionar a maneira com que se pratica a chamada medicina canabinoide. Desenvolvido pela empresa Proprium, sob a liderança de seu diretor-científico e farmacologista brasileiro Fabrício Pamplona, o MyCannabis Code é um exame simples que mede a capacidade do paciente de metabolizar os canabinoides, que são os princípios ativos da planta. Por meio do estudo do DNA do indivíduo, o teste verifica sua sensibilidade, e eventual intolerância, à terapia com a erva.

“Após mais de dez meses de pesquisas, chegamos a um algoritmo confiável, cientificamente consistente e de fácil interpretação. Com os resultados em mãos, fica muito mais simples e rápido estabelecer a dose ideal para cada indivíduo e, eventualmente, evitar a prescrição para quem apresente hipersensibilidade, eliminando o risco de efeitos colaterais indesejados. O MyCannabis Code deixará médicos e pacientes muito mais seguros para iniciar suas terapias”, explica Pamplona. A coleta do material a ser analisado também é extremamente simples e pode ser realizada pelo próprio paciente, segundo o cientista. Para tanto, basta solicitar o kit pelo site da empresa e, com um swab (cotonete longo), raspar levemente a parte interna da bochecha para coletar as células epiteliais que fornecerão o material genético para análise no laboratório. Por enquanto, os testes ainda estão sendo realizados na sede da empresa em Portugal, mas Pamplona informou já estar em busca de um parceiro nacional para a tarefa. Os resultados saem em aproximadamente duas semanas e são enviados ao mesmo tempo para o médico e o paciente, que recebem por email os dados detalhados. Cerca de 100 pacientes do Brasil já realizaram o exame, cujo custo gira em torno dos 300 dólares.

Além de determinar as taxas de metabolismo dos canabinoides para cada indivíduo, o teste revela ainda os potenciais efeitos e riscos relacionados a funções cognitivas, alterações comportamentais, uso crônico e impacto no cotidiano dos pacientes. “Idealmente, todos deveriam conhecer sua sensibilidade aos princípios ativos, não apenas da cannabis, mas também de outros fármacos. Essa nova área do conhecimento, chamada de farmacogenômica, é capaz de estabelecer parâmetros de tratamento individualizado com aplicações em praticamente todas as especialidades médicas”, afirma Pamplona. A Proprium mesmo já oferece, ao lado do MyCannabis Code, testes genéticos específicos para atividades físicas (MyFitness Code), nutrição (MyNutri Code) e medicamentos (MyMed Code).

Com o tempo e o aumento do número de testes, a empresa espera não apenas reduzir os custos, mas também obter dados e informações estatísticas que contribuam para o desenvolvimento de novos produtos farmacêuticos. “A medicina personalizada é uma das áreas mais promissoras da ciência e estamos felizes em oferecer esse conhecimento aos médicos e pacientes da cannabis medicinal no Brasil e no mundo”, conclui Pamplona.

Continua após a publicidade
Publicidade