Alberto Carlos Almeida Por Coluna Opinião política baseada em fatos

Evo Morales não leu os recados da opinião pública

Os bons políticos precisam ter várias habilidades, uma delas é a de ler corretamente o que os eleitores sinalizam

Por Alberto Carlos Almeida - Atualizado em 12 nov 2019, 16h37 - Publicado em 12 nov 2019, 14h45

Os dados de César Zucco e Daniela Campello não deixam dúvidas: Evo Morales desprezou as mensagens da opinião pública, quis ter tudo e acabou exilado no México. Quando Evo convocou o plebiscito de 2016 para aprovar a sua terceira reeleição, a sua aprovação despencou de quase 60% para 50%. Ele perdeu no plebiscito. Dois anos depois, quando a corte mais elevada da Bolívia reverteu a decisão do plebiscito, indo contra a vontade das urnas, a aprovação de Morales despencou novamente, de 50% para 30%. Foram três recados claros, o resultado do plebiscito e as duas reduções abruptas da aprovação de seu governo: “não queremos mais você”. Ainda assim ele insistiu. Não quis sair por bem, saiu por mal.

 César Zucco e Daniela Campello/.

Publicidade