Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Trump quer reduzir impostos e alterar seguro-saúde

Trump elogiou o presidente democrata, dizendo que ele tem "muito respeito" por Obama e que buscará conselhos dele quando estiver no cargo

Além de se reunir com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, o presidente eleito Donald Trump se encontrou na quinta-feira com o presidente da Câmara dos Representantes, Paul Ryan. Após o encontro com o deputado, Trump sugeriu que os dois republicanos discutiram temas como seguro-saúde e impostos. “Nós iremos fazer coisas absolutamente espetaculares para o povo americano e estou ansioso para começar”, disse Trump. “Iremos reduzir impostos, como vocês sabem. Nós também tornaremos o seguro-saúde mais acessível”, disse brevemente o empresário, que derrotou nesta semana a democrata Hillary Clinton na corrida pela Casa Branca.

Distante de Trump durante a campanha, Ryan tomou emprestado o slogan do colega de partido ao descrever os planos deles para trabalhar juntos. “Nós estamos falando agora sobre ter a energia para fazer esse país melhorar a fazer a América grande novamente”, afirmou o líder parlamentar a repórteres.

Leia também
Zuckerberg: ‘Facebook não prejudicou debate político durante eleição’
Na Casa Branca, Trump diz que vai pedir conselhos a Obama
Mulheres de hijab são atacadas por apoiadores de Trump nos EUA

No encontro com Obama, nem o presidente atual nem o próximo responderam a perguntas de repórteres. Mais tarde, Trump elogiou o presidente democrata, dizendo que ele tem “muito respeito” por Obama e que buscará conselhos dele quando estiver no cargo. A dupla se reuniu por 90 minutos, mais que a uma hora prevista. “De minha parte, isso poderia ter ido bem mais longe”, comentou Trump sobre a reunião no Salão Oval. “Nós discutimos muitas situações diferentes, algumas maravilhosas e algumas dificuldades”, afirmou o presidente eleito.

Obama comentou mais tarde que conversou com Trump sobre questões de organização da Casa Branca e também sobre política externa e interna. O presidente disse que sua prioridade é “facilitar a transição” para garantir que o próximo líder seja bem-sucedido.  Além disso, a primeira-dama, Michelle Obama, recebeu na quinta-feira a mulher de Trump, Melania. Obama disse que a primeira-dama teve um encontro “excelente” com a futura primeira-dama.

Leia mais
Taylor Swift teve a foto mais curtida das eleições no Instagram
Revista distribui capa de ‘Hillary presidente’ por engano

Protestos — Várias cidades dos Estados Unidos tiveram atos de vandalismo na noite de quinta-feira e pouco mais de dez pessoas foram presas em Richmond, na Virgínia, após protestos contra a eleição de Trump. Três estátuas em Richmond foram alvo de pichações após centenas de pessoas marcharem no local, segundo autoridades.

Em sua conta oficial no Twitter, Trump criticou as manifestações. “Acabamos de ter uma eleição presidencial muito aberta e bem-sucedida. Agora manifestantes profissionais, incitados pela mídia, estão protestando. Muito injusto”, escreveu o republicano.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Adilson Nagamine

    O eleitor ao votar CONDENOU o obamacare. Tchau Barak HUSSEIN Obama.

    Curtir

  2. Adilson que parte vc não entendeu sobre expandir o seguro de saúde, ele não ia acabar com obamacare no primeiro dia? E pelo jeito o seu problema com o sobrenome Hussein.

    Curtir

  3. As declarações de Trump até agora evidenciam o famoso estelionato eleitoral, mas no caso dele isso é ótimo hahaha

    Curtir

  4. Alberto Ahrens

    Trump é bem a cara norte americano…… de um EX-norte americano

    Curtir

  5. Silva Oliveira João

    E os investidores estrangeiros dizem… Bye Bye Brazil …

    Curtir