Blogs e Colunistas

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Está na mão

eunicio

Com Dilma

Dilma Rousseff continua mantendo distância do Ceará, onde seu fiel aliado Cid Gomes tenta reeleger o sucessor, o PT tem candidato próprio e o líder do PMDB, Eunício Oliveira, briga contra ambos.

Paralelamente, os três postulantes ao governo do estado sonham em atrair Dilma e Lula para suas campanhas.

Eunício não quer nem saber: mesmo em Brasília, não deixa esgotar da carteira os santinhos com sua foto ao lado de Dilma. A ansiedade é tenta que até Michel Temer recebeu do correligionário um dos panfletos.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Pela não agressão

Disputa em alta temperatura

Disputa para ter Lula no palanque

Eunício Oliveira continua reiterando a disposição de apoiar Dilma Rousseff, mesmo após Cid Gomes oficializar o fechamento da aliança com o PT. A conta só não é tão simples quanto parece.

Agora, dificilmente Lula irá gravar para o programa do PMDB do Ceará, claro (leia mais aqui). Até aí, beleza, Eunício não chutará o balde. Se não há afagos, que não surjam ataques.

Eunício manterá a linha caso Lula não entre em campo, nem por ele nem por Cid. Mas, caso Lula, Dilma Rousseff e o PT comecem a esticar a corda e atacá-lo, Eunício não pensará duas vezes em abandonar o projeto de Dilma.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Fora do Senado

Encontro com Aécio

Olho no plano nacional

Tasso Jereissati desistiu de sair candidato ao Senado na chapa de Eunício Oliveira (Leia mais em: Baixa cearense).

Embora o PSDB continue coligado com o PMDB no Ceará, Tasso, ainda cotado para ocupar a vice de Aécio Neves, prefere participar da campanha nacional do partido, e já avisou que não quer concorrer a uma cadeira no Congresso.

Resta saber se não voltará atrás quando Aécio anunciar quem será seu vice…

Por Lauro Jardim

terça-feira, 24 de junho de 2014

Baixa cearense

Descartando convite

Colado no PSDB

No Ceará, outra baixa para Dilma Rousseff e o PT. Eunício Oliveira está 99,999% fechado com o PSDB, e Tasso Jereissati é o nome para sair candidato ao Senado na chapa encabeçada pelo peemedebista.

O plano só vai por água se Aécio Neves resolver entregar sua vice no colo de Tasso.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Lula por Eunício

Apalavrado

Apalavrado

Lula continua trabalhando para conter rebeliões. Eunício Oliveira não confirma coisa alguma envolvendo o ex-presidente.

Ao fato: Lula tem falado com Eunício por telefone frequentemente e, no último contato, colocou-se à disposição para gravar um depoimento no programa de TV da campanha Eunício.

Resta saber se Lula cumprirá a promessa ou vai esquecer do que disse após a Convenção do PMDB, no dia 10, quando o partido decidirá se mantém a aliança com o PT.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 3 de junho de 2014

16:50 \ Governo

Apelo do dono do cofre

Guido agradece

Pedido a peemedebistas

O nível de preocupação do governo com a ameaça de votação da PEC dos Magistrados, projeto que cria uma bonificação por tempo de serviço, bateu na tampa. Hoje, Guido Mantega entrou no circuito.

Renan Calheiros, Eduardo Braga, Eunício Oliveira e Romero Jucá estiveram no Ministério da Fazenda na hora do almoço. Mantega reiterou o risco ao caixa do governo, caso a PEC seja aprovada, e pediu a cooperação da turma peemedebista para segurar a votação de todos os jeitos.

Agora, se Renan e companhia se sensibilizaram a ponto de pisar no freio são outros quinhentos.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Com eles, não

Disputa

Disputa

Apesar da intervenção de Lula e do desejo de Dilma Rousseff, o clima entre Eunicio Oliveira e a turma de Cid Gomes continua para lá de pesado.

A prefeitura de Juazeiro do Norte decidiu homenagear Eunicio, Eduardo Campos e o presidente de Assembleia Legislativa do Ceará, Zezinho Albuquerque, possível candidato de Cid Gomes para substituí-lo no governo estadual.

Eunicio e Campos confirmaram presença no evento, marcado para amanha à noite. Albuquerque, nem pensar: pediu para que fosse agendada outra data para receber a homenagem. Na certa, o clã Gomes torceria o nariz para as fotos do aliado com seus dois principais adversários.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 20 de maio de 2014

Nada feito

Disputa em alta temperatura

Disputa em alta temperatura

No encontro com a cúpula do PMDB do Senado, ontem, em São Paulo, Lula trabalhou para tentar desembrulhar o imbróglio eleitoral no Ceará, onde Eunício Oliveira e Cid Gomes disputam o apoio petista.

Eunício, em dado momento, foi objetivo. Colocou sua candidatura à disposição e disse que aceitaria desistir da disputa, com uma condição: Lula se comprometeria a anunciar no Ceará que Eunício havia saído do páreo a pedido dele, Lula.

Ninguém pegaria esse torpedo. Lula descartou a possibilidade.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 8 de maio de 2014

8:23 \ Congresso

Ferraço versus Eunício

Fora da Infraestrutura

Incomodado com o correligionário

Ricardo Ferraço anda torcendo o nariz quando passa pelo correligionário Eunício de Oliveira. O motivo: Eunício ofereceu-lhe um lugar na CPI da Petrobras, mas na suplência. Ferraço não engoliu, e emenda:

- Eu quero ir para a CPI, mas para ser protagonista. Assim, como coadjuvante, não quero, obrigado.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 6 de maio de 2014

16:30 \ Partidos

Time da maioria

Descartando convite

Fechando os nomes

Eunício Oliveira está decidindo neste momento o time de sete senadores do bloco da maioria que vai entrar na CPI da Petrobras.

Eunício está convidando agora João Alberto, do PMDB do Maranhão, que deve topar. Estão certos como titulares Ciro Nogueira e Valdir Raupp.

A outra vaga fica entre Vital do Rêgo e Kátia Abreu. Clésio de Andrade ocupará uma das três cadeiras de suplência que cabem ao bloco. Romero Jucá e Ricardo Ferraço pediram para ficar de fora.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 28 de abril de 2014

18:31 \ Congresso

O nome-bomba

Festa para 2 000 convidados em BH

Clésio: bomba nas mãos de Eunício

Até o momento, apenas um senador peemedebista pediu a Eunício Oliveira para integrar a CPI da Petrobras: Clésio Andrade.

Sem concorrer a nada neste ano, réu do mensalão mineiro e distante de qualquer compromisso com o governo, caso seja indicado a uma das cadeiras do PMDB, Clésio será uma bomba para o Palácio do Planalto. Cabe a Eunício a tarefa de armá-la ou não.

No PT, Humberto Costa tem ao menos uma certeza para compor as vagas que cabem ao partido na CPI. José Pimentel tem escalação praticamente certa.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 15 de abril de 2014

19:01 \ Congresso

Beija-mão no Plenário

Resolução 72 na pauta

Coletando assinaturas

Nome indicado pelo PMDB do Senado para o Tribunal de Contas da União (TCU), Bruno Dantas cumpriu hoje o ritual do beija-mão de seus padrinhos: passou parte da tarde cumprimentando senadores no Plenário.

Enquanto isso, Eunício Oliveira recolhia assinaturas de apoio ao nome de Dantas entre os colegas. Saiu com duas páginas repletas de rubricas.

Dantas, ex-integrante do Conselho Nacional de Justiça e do Conselho Nacional do Ministério Público, emergiu após a derrocada de Gim Argello, que foi rechaçado por colegas e pelos próprios ministros do TCU (Leia mais aqui).

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 11 de abril de 2014

17:36 \ Brasil

Lobby bem sucedido

Descartando convite

Eunício indica diretora na ANS

As operadoras privadas de saúde vivem um momento de grande expectativa. Depois da MP 627, relatada por Eduardo Cunha, que se aprovada irá anistiar quase 2 bilhões de reais de multas, é a vez de cruzar os dedos pela aprovação, no Senado, de Simone Freire, ex-Hapvida e indicada por Eunício Oliveira como diretora da Agência Nacional da Saúde.

(Atualização às 20h38: o Radar errou. Simone Freire nunca trabalhou em qualquer operadora de plano de saúde, tampouco prestou consultoria a alguma delas)

Por Lauro Jardim

terça-feira, 8 de abril de 2014

6:02 \ Congresso

Arrepio no Planalto

eunicio

Decisão tomada

Não é preciso conhecer as entranhas do jogo político para saber que CPIs não interessam a governo algum. Uma para investigar a Petrobras, então, cheira a pólvora para o Palácio do Planalto.

Eunício Oliveira sabe bem disso, mas não está preocupado: vai posicionar-se a favor da abertura da investigação, na sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, hoje de manhã.

Ao encaminhar sua posição, como líder do PMDB, Eunício espera que a bancada o acompanhe. Seus correligionários podem se rebelar e resolver mostrar serviço e fidelidade ao governo.

Sim, mas como trata-se de um pronunciamento partidário, a tendência é os demais peemedebistas seguirem o líder, votando pela instalação da CPI. Nesse caso, sem o apoio do PMDB, dificilmente o PT conseguirá sepultar a investigação.

Não faltará petista vinculando a decisão de Eunício com o imbróglio envolvendo o cenário eleitoral do Ceará, onde Dilma Rousseff e o PT ainda não deixaram claro se apoiarão o candidato de Cid Gomes ou o próprio Eunício, caso eles não se acertem e ocupem o mesmo palanque.

Eunício, claro, diz que não se trata de chantagem, mas já está avisando: se depender dele, uma comissão parlamentar será criada para revirar a Petrobras do avesso.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Os números do Ibope

eunicio

Impasse no Ceará

O PMDB encomendou e o Ibope deu a medida do humor do eleitorado em três estados. Alagoanos, amazonenses e cearenses responderam em quem votariam para presidente, governador e senador. A pesquisa ouviu 812 pessoas em cada estado entre 22 e 25 de março.

Em Alagoas, a família Calheiros é hoje a preferida para assumir o governo. Renan Filho tem 29%, seguido por Benedito da Lira (PP), que tem 26%, e Alexandre Toledo (PSB), com 5%. Em outro cenário, seu pai, Renan Calheiros, teria 41% contra 21% de Lira e 4% de Toledo. Mas Renan pai não é candidato, como se sabe (é apenas candidato a continuar mandando no Senado).

No Ceará, palco de uma sinuca para Dilma Rousseff, a indefinição sobre o candidato do governador Cid Gomes beneficiou Eunício Oliveira, que venceria no primeiro turno em todos os seis cenários pesquisados. A petista Luiziane Lins foi a única adversária que ultrapassou 10% dentro da margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Ficou com 11%, contra 39% do peemedebista.

Já no Amazonas o líder do PMDB no Senado Eduardo Braga lidera com folga: 61%, contra 13% de Hissa Abrahão (PPS) e os 11% de Rebecca Garcia (PP).

Enquanto os partidos costuram alianças e ainda há muitas indefinições, o Ibope mostra um eleitorado ainda desinteressado pelas eleições. Aqueles que não têm interesse nenhum são maioria em Alagoas (30%) e Ceará (28%). No Amazonas, 38% disseram ter interesse médio.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 1 de abril de 2014

17:21 \ Congresso

Rubrica na CPI

Descartando convite

Apoiando CPI

A cúpula do PMDB da Senado parece estar prestes a apoiar a criação da CPI da Petrobras no Senado. Há cerca de dez minutos, Eunício Oliveira informou a interlocutores que acabou de rubricar o requerimento pedindo a abertura da investigação. Os líderes do Senado, entre eles Eunício, estão reunidos neste momento com Renan Calheiros.

Não se sabe, porém, qual o objetivo da estratégia peemedebista: mandar um recado objetivo ao Palácio do Planalto ou – o mais provável – jogar água no chope da oposição, que agora passou a defender uma CPI mista, formada por senadores e deputados.

Por Lauro Jardim
11:22 \ Congresso

Variável cearense

Promessa de aprovação

Quem indicar?

Eunício Oliveira precisará escolher sete nomes dos treze integrantes da CPI da Petrobras, caso ela saia, de fato. Serão quatro titulares e três suplentes.

A decisão dos indicados, obviamente, terá relação direta com a maneira que Dilma Rousseff, Lula e o PT tratarão Eunício no Ceará até a data de anúncio dos nomes.

Sim, dependendo do rumo do barco eleitoral cearense, Eunício pode escalar Roberto Requião ou um Waldemir Moka da vida.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 19 de março de 2014

12:18 \ Governo

Venham comigo

Inspirando deputados

Com Cid Gomes e Eunício a bordo

Dilma Rousseff decidiu agradar aos dois senhores: tanto Eunício Oliveira como Cid Gomes embarcaram há pouco no helicóptero que levou Dilma do aeroporto de Fortaleza ao endereço do primeiro evento que vai participar na cidade (Leia mais em: Overbooking cearense).

A propósito, Eunício anda mostrando pela tela do celular uma charge – do cartunista Clayton, do O Povo – de Dilma com uma mangueira, tentando apagar a chama do logotipo do PMDB.

Quando o interlocutor levantava a cabeça, Eunício fazia a gracinha:

- Não adianta, a chama do PMDB não se apaga nunca.

Por Lauro Jardim

Overbooking cearense

Disputa

Disputa pelo apoio de Dilma

Dilma Rousseff resolveu fazer um agrado a Eunício Oliveira e o convidou para acompanhá-la na viagem ao Ceará, hoje. Resta saber se Dilma terá coragem de pôr Eunício e Cid Gomes no mesmo helicóptero, que a levará de Fortaleza a Sobral, cidade natal de Cid.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 10 de março de 2014

12:07 \ Governo

Fim do primeiro tempo

Balanço da reunião com Dilma na residência oficial

Balanço da reunião com Dilma na residência oficial

A primeira reunião de Dilma Rousseff com Michel Temer, Renan Calheiros, Eunício Oliveira e Eduardo Braga acabou há cerca de vinte minutos. Temer não saiu da sala: agora, ficará para acompanhar Valdir Raupp e Henrique Eduardo Alves.

Renan, Eunício e Braga deixaram o Palácio do Planalto pela garagem, sem dar uma palavra sobre o que foi conversado, e seguiram rumo à residência oficial de Renan para contabilizar as perdas e ganhos, se é que houve.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 5 de março de 2014

17:31 \ Congresso

Assim, não

Descartando convite

Contrário ao rompimento

Um caloroso debate entre dois peemedebistas, na quarta-feira passada, sintetizou a diferença de disposição entre as bancadas do Senado e da Câmara em relação ao governo Dilma Rousseff. Danilo Fortes, deputado pelo Ceará, foi encontrar o conterrâneo Eunício Oliveira no Plenário do Senado.

Fortes apresentou ao correligionário o esboço de um documento de convocação para uma reunião do PMDB. O texto dizia que o encontro serviria para se definir posições partidárias. Eunício não gostou, se recusou a assiná-lo, caso a pauta fosse mantida, e mandou:

- Nesses termos, não. Você quer o quê? Romper? Não, não. Estamos fazendo é pressão.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

18:03 \ Governo

Não, não, não, não e não

Descartando convite

Convites recusados

O governo ofereceu um ministério para Eunício Oliveira  cinco vezes desde o início do ano. Mas agora desistiu.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

18:58 \ Governo

Com jeitinho, vai?

Descartando convite

Esperança para Dilma

De um peemedebista velho de guerra sobre o convite de Dilma Rousseff para Eunício  Oliveira tornar-se o ministro da Integração, oferta recusada mais de uma vez pelo senador:

- Não é operação trivial, mas se tiver chance, o Eunício topa.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

12:29 \ Governo

Novamente, não

Descartando convite

Descartando convite

Eunício Oliveira continua caminhando convicto para um beco cada vez mais longe do Ministério da Integração Nacional, a despeito do desejo de Dilma Rousseff. Hoje de manhã, Eunício ligou e reiterou a Michel Temer que não aceitará a cadeira na Esplanada.

Sim, mas a quem o pergunta se chance de assumir o ministério é zero, Eunício recorre à justificativa do nada é impossível nessa vida para dizer que a probabilidade é próxima do zero.

Se amanhã vier a mudar da ideia e topar a empreitada, será difícil construir um discurso para justificar a alteração da rota em 180 graus, depois de tantas vezes repetir que não pensa em ministério. Mas – e não faltam exemplos disso – essa virada é sempre possível.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

16:32 \ Congresso

Perdeu a carona

Eunício emplacando aliados

Eunício emplacando aliados

Ideli Salvatti chamou líderes da base aliada para uma conversa no Palácio do Planalto, hoje de manhã. Sobre a mesa, um tema caro ao governo: os vetos de Dilma Rousseff a um projeto que aumenta o número de municípios.

A Câmara vai analisar a canetada de Dilma na semana que vem. O PMDB já deixou claro que está louco para derrubá-la. Ideli chamou a reunião para traçar a estratégia de articulação capaz de manter o veto na Câmara e, em seguida, enviar outro projeto, semelhante, ao Senado.

Até aí, tudo certo, desde que a bancada de senadores do PMDB compre a ideia. Mas a turma provavelmente sequer ficará sabendo com precisão o que se conversou. Eunício Oliveira, agora sem esconder a irritação com o Planalto, não apareceu.

Pouco mais de uma hora após a reunião entre Ideli, Humberto Costa, Arlindo Chinaglia e José Pimentel, Eunício já estava perambulando pelo Senado que, como se sabe, fica a 200 metros do Planalto. A quem o perguntava por que decidiu dar o bolo, Eunício ironizava:

- Como o Eduardo Cunha não foi, eu perdi a carona e também não fui.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

10:22 \ Partidos

Cargo que não compensa

Reunião marcada com os correligionários

Reunião marcada com os correligionários

A especulação em torno do nome de Eunício Oliveira para o Ministério da Integração está levando o PMDB da Câmara à loucura. No cenário que o levaria à Esplanada, Vital do Rêgo seria escanteado e os deputados do partido perderiam uma de duas cadeiras, provavelmente o Ministério do Turismo, que seria entregue ao PTB.

Eunício identificou o tamanho da bomba e tem dito aos correligionários que não aceitaria o convite, caso Dilma Rousseff o oficializasse. A posição não tem nada de altruísmo, mas de instinto de sobrevivência.

Se topasse a empreitada, Eunício estaria automaticamente abrindo mão da candidatura ao governo do Ceará e sendo pivô de uma crise com a bancada da Câmara, a turma do Senado que tenta emplacar Vital do Rêgo e o Palácio do Planalto, que passaria a ser ainda mais torpedeado do que já é pela bancada da Câmara (Leia mais em: Alternativa, tem).

Assistindo o xadrez de perto, Eduardo Cunha já convocou sua tropa. Hoje, às 15 horas, haverá reunião com todos os deputados do PMDB. Cunha já sabe o que ouvirá de sua turma. Se a bancada perder o ministério, vai sobrar petardo para o Planalto e os senadores favoráveis ao nome de Eunício.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Alternativa, tem

Não topa qualquer coisa

Não topa qualquer coisa

Dia, sim, outro, também, Eunício Oliveira procura Michel Temer para queixar-se da bomba que está se armando no Ceará. Caso Cid Gomes não o apoie – algo pouco provável hoje – Eunício concorreria ao governo batendo de frente com as duas máquinas, a estadual e a federal.

Uma das possibilidade que a cúpula peemedebista já tratou com Eunício é a de construir seu nome para a Esplanada. Nesse cenário haverá dois problemas – o menor deles, explicar a Vital do Rêgo que ele dançou; o outro, convencer Dilma Rousseff a entregar a Eunício e ao PMDB um ministério com robustez suficiente para resolver a parada.

Sim, ninguém enxerga Eunício, que já foi ministro das Comunicações, topando abandonar o sonho de ocupar a cadeira de Cid Gomes em troca do mediano Turismo ou do pouco valorizado Ciência e Tecnologia, por exemplo.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Lula intervém

Conversa marcada

Conversa marcada

Lula continua dedicado a costurar as desavenças eleitorais mais ameaçadoras para Dilma Rousseff: ligou para Eunício Oliveira e marcou uma conversa na quinta ou sexta-feira, em São Paulo. Lula trabalha para evitar que Eunício e Cid Gomes estejam em lados opostos na disputa ao governo do Ceará.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Nem um milímetro

Vai ter que esperar

Vai ter que esperar

Mesmo antes de o PMDB explodir em insatisfação, Dilma Rousseff tinha uma convicção a respeito de 2014: o quanto puder adiar a escolha de seus palanques estaduais, melhor. Os cenários mais complicados, claro, são Rio de janeiro e Ceará.

Agora, com o PMDB em chamas, Sérgio Cabral e Eunício Oliveira que exercitem a paciência.

Dilma não fará qualquer movimento indicando preferência por quem quer que seja, principalmente antes de Cid Gomes bater o martelo sobre quem apoiará para sucedê-lo e todas as candidaturas no Rio estarem postas.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

17:33 \ Partidos

Estamos juntos

Pacto de autoproteção

Pacto de autoproteção

A cúpula peemedebista do Senado se reuniu pouco antes do recesso no gabinete de Renan Calheiros para tratar do futuro. Além de Renan, Romero Jucá, Eunício Oliveira, Vital do Rêgo e Eduardo Braga trocaram impressões sobre o que os aguarda em 2014.

Da conversa saiu uma espécie de pacto de socorro a quem for derrotado nas eleições de outubro. Quem não tem voto tem medo. Renan, Jucá, Eunício e Braga provavelmente disputarão a cadeira de governador de seus estados. Vital sonha com o Ministério da Integração.

O grupo fechou que os representantes da turma que caírem nas urnas ou não chegarem à Esplanada, caso de Vital, contarão com o apoio dos colegas para ocupar os cargos de destaque que pertencem ao PMDB no Senado.

O compromisso não passaria de mero protocolo partidário, se ninguém soubesse que Eduardo Braga e Renan não se suportam. Isso sem falar na rixa criada entre Eunício e Jucá, que disputaram a liderança do partido no início de 2013.

Por Lauro Jardim
 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados