Clique e assine com até 92% de desconto

O Triunfo do ex-lunático

O ditador Kim Jong-un alcança a glória ao levar Trump à mesa de negociações, mas as chances de que renuncie às bombas nucleares ainda são baixas

Por Da Redação Atualizado em 15 jun 2018, 17h45 - Publicado em 15 jun 2018, 15h04

A ameaça do “homenzinho do foguete”, como o presidente americano o chamou, fez o próprio Trump sentar-se à mesa de negociações com Kim na semana passada, um encontro histórico entre inimigos que antes só se insultavam em público.

O encontro consistiu numa vitória maiúscula para o ditador da Coreia do Norte, que conseguiu atrair o líder da maior potência mundial para uma negociação. Deixou, de uma hora para outra, de ser tratado como um pária pela comunidade internacional e alcançou sua glória.

Os dois se falaram por quatro horas e, no final, divulgaram uma declaração vaga, sem compromissos concretos, na qual Kim apenas se compromete a trabalhar pela completa desnuclearização de seu país. Já é alguma coisa, mas é pouco. Como resultado do encontro, Trump prometeu acabar com os exercícios militares conjuntos com a Coreia do Sul, sem que Kim precisasse se comprometer com um cronograma para desmantelar seu arsenal, nem ao menos dizer onde as bombas estão.

  • Publicidade