Clique e assine a partir de 9,90/mês

Giro Veja: Os principais momentos do discurso de Bolsonaro na ONU

Presidente utilizou espaço para criticar esquerda, Cuba, Venezuela, França e Raoni

Por Da Redação - 24 Sep 2019, 18h10
O presidente Jair Bolsonaro discursou pela primeira vez na Assembleia-Geral das Nações Unidas (ONU), em Nova York, e realizou uma série de críticas. A fala começa com menções a governos de esquerda e acusações à Cuba. “Em 2013, um acordo entre o governo petista e a ditadura cubana trouxe ao Brasil 10 mil médicos sem nenhuma comprovação profissional. Foram impedidos de trazer cônjuges e filhos, tiveram 75% de seus salários confiscados pelo regime e foram impedidos de usufruir de direitos fundamentais, como o de ir e vir. Um verdadeiro trabalho escravo, acreditem”, declarou Bolsonaro.
Quando o presidente tocou no assunto mais esperado, sobre as queimadas na Amazônia, Bolsonaro faz referência ao posicionamento do presidente da França, Emmanuel Macron, sobre a política ambiental de seu governo: “É uma falácia dizer que a Amazônia é patrimônio da humanidade e um equívoco, como atestam os cientistas, afirmar que a nossa floresta é o pulmão do mundo. Valendo-se dessas falácias, um ou outro país, em vez de ajudar, embarcou nas mentiras da mídia e se portou de forma desrespeitosa, com espírito colonialista”, afirmou. 
Publicidade