Clique e assine a partir de 9,90/mês

Estúdio Veja: A fragilidade do Supremo Tribunal Federal

Especialista avalia decisões de ministros como um risco à democracia

Por Da Redação - Atualizado em 18 abr 2019, 14h21 - Publicado em 17 abr 2019, 18h07

O inquérito aberto pelo ministro Dias Toffoli, há um mês, ainda é discutido. Principalmente depois que Raquel Dodge, a procuradora-geral da República, arquivou a investigação que apura denúncias, fake news e ameaças contra os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Em resposta, o ministro Alexandre de Moraes manteve o inquérito aberto. Segundo o cientista político Rafael Cortez, a tarefa principal do STF seria proteger indivíduos de ações arbitrárias do Estado. Mas, a partir do momento em que se começa a procura por críticos do Supremo, que se bloqueiam contas de redes sociais e Whatsapp, os ministros estariam “arriscando a credibilidade institucional” o que aumentaria o risco de tensão entre os poderes. O especialista não descarta a possibilidade da criação de uma CPI chamada de Lava-Toga ou que se abra um processo de impeachment para alguns dos ministros.

 

 

 

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade