A República dos revolucionários de galinheiro

Acompanhe o ‘Estúdio VEJA’ com Silvio Navarro e Augusto Nunes

Por Da Redação - Atualizado em 10 dez 2018, 14h25 - Publicado em 30 jan 2018, 17h35

Após o TRF4 manter a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 24 de janeiro, o colunista de VEJA Augusto Nunes faz uma análise do cenário eleitoral e judicial em 2018. De acordo com ele, segundo entendimentos do STF há pouco mais de um ano, um condenado em segunda instância já pode começar a cumprir pena e se tornar ficha suja – além de inelegível. “Em um país normal, o ex-presidente Lula não seria candidato à presidência, mas sim à cadeia”, afirma.

Além disso, o programa debate as declarações agressivas que foram feitas em defesa ao ex-presidente Lula, como a da presidente do PTGleisi Hoffmann, que viralizou ao dizer que para prender o ex-presidente “teria que matar gente”. “Esta linguagem de estudantes eu associo a revolucionários de galinheiro”, disse. “Eles ficam despejando estas bravatas e não agem.”

Augusto Nunes e o editor de TVeja Silvio Navarro também discutem a decisão da defesa de Lula de pedir Habeas Corpus para evitar a prisão do ex-presidente, além da possibilidade da candidatura de Joaquim Barbosa e sua falta de equilíbrio emocional para o cargo. O Estúdio Veja também analisa o video de Cristiane Brasil em uma lancha que viralizou nesta semana. “Ela acabou de enterrar as pequenas chances que tinha de ser ministra do Trabalho”, comenta Augusto.

Publicidade